quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Para Virar a Página

Bon Giorno, Buteco! Esse penúltimo jogo do Brasileiro traz a nós, torcida do Flamengo, aquela sensação de fim de festa sem que tenhamos aproveitado dela. Ao vermos os últimos minutos que nos restam, porém, agora não se trata nem de aproveitar os últimos cento e oitenta e poucos minutos, mas de garantir que seremos convidados para a festa do ano que vem...


Essa semana não falarei de estatísticas nem do quanto precisaremos torcer pelos adversários. Isso eu farei semana que vem acaso seja necessário. A vitória de sábado passado sobre o Guarani nos deu a excelente oportunidade de, com mais três pontos, acabar de vez com o problema. Logo, o momento é de focar no Flamengo e em suas chances de vencer o Cruzeiro. Não quero pensar em mais nada no momento. Se outros resultados ajudarem, melhor ainda, mas o que eu quero é que o Flamengo se safe por suas próprias pernas!



Ora, então basta vencer o Cruzeiro, rsrsrs. Claro, não é tão simples assim, já que estamos falando de um adversário matematicamente já classificado para a Libertadores, disputando o título, que já venceu oito partidas fora de casa e, na minha singela opinião, é o time que joga o futebol mais vistoso e envolvente do campeonato. Não é um time perfeito, contudo. Por mais incrível que pareça, o Cruzeiro tem seus momentos de "arame liso" e, não sou eu quem está dizendo, a imprensa confirma que a maior preocupação de seu treinador, cujo nome vou evitar declinar neste respeitável espaço, é a falta de "poder de fogo" de seu ataque. Bem, eu trocaria o Diogo pelo Thiago Ribeiro, ou o Montillo pelo Kleberson (essa foi boa, hein, amigos? Que tal?), mas o importante é que, colocando em números, o Cruzeiro tem apenas nove gols marcados a mais do que o Flamengo, o que, convenhamnos, é pouco para a absurda diferença de vinte pontos na tabela de classificação. Em comparação com seus adversários diretos na luta pelo título, o Cruzeiro tem dez gols a menos do que o Fluminense e treze gols a menos do que o Corinthians. Em relação ao sistema defensivo, o Cruzeiro sofreu apenas seis gols a menos do que o Flamengo, quatro a menos do que o Corinthians e um a mais do que o Fluminense.


Bem, são apenas números e estatísticas, os quais, frios, mostram que enfrentaremos, em suma, uma defesa muito, muito consistente, e um ataque não tão forte assim. Enfim, não é um adversário imbatível, tanto que já foi derrotado nesse campeonato por seis vezes. Acredito que a fórmula para tanto seja reconhecer a inferioridade do Flamengo no plano tático e a impossibilidade de enfrentar esse adversário no jogo aberto, de igual para igual. Fazer com que o nosso patético ataque sobrepuje a sólida defesa cruzeirense talvez seja a tarefa mais difícil desse confronto ao lado da necessidade de neutralizar as triangulações pelos lados da nossa defesa, especialmente o esquerdo, recheado de jogadores com mais de trinta anos e na fase decadente de suas carreiras.


Do lado do Flamengo, vejo, inclusive na imprensa, um silêncio absoluto em termos de tática por parte de Luxemburgo, interrompido por um incauto ensaio de dancinha para gol por parte do jovem, e por isso imaturo, Diego Maurício. Nada que uma boa conversa não possa resolver. Gosto desse silêncio. Para mim, é prova de que o experiente Luxemburgo tem a perfeita noção do que terá pela frente. Se escolherá as armas certas, veremos. Espero apenas que não coloque um time excessivamente experiente, e lento, para enfrentar um adversário veloz, entrosado e sadio como é o Cruzeiro. Recomendo a você, Luxemburgo, o videotape de Uberlândia, que mostra exatamente o que é o Cruzeiro: um time envolvente, que dá a impressão que vai golear, assusta muito, mas acaba ganhando só de 1x0. O problema é que, se isso acontecer domingo...


Então, para virar a página...



video



Nada melhor do que lembrar de seis anos atrás no mesmo Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, contra o mesmo Cruzeiro, quando naquela tarde quem não fazia gols havia tempos fez; quem não jogava nada havia tempos jogou e marcou golaço, o time deslanchou, goleou e fechou pra balanço. E virou a página. Nada mais desejo para o próximo domingo.


Valeu galera!

Agradeço de corção aos meus irmãos Rocco, Victor, Patrick, Mouta, Marcelão e Zizinho pelas gentis palavras ontem. Vocês todos moram em meu coração!

Bom dia e SRN a todos.