sábado, 21 de setembro de 2019

Cruzeiro x Flamengo


Campeonato Brasileiro/2019 - Série A - 20ª Rodada

Sábado, 21 de Setembro de 2019, as 17:00h (USA ET 16:00h), no Estádio Governador Magalhães Pinto ou "Mineirão", em Belo Horizonte/MG.

Cruzeiro: Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Éderson, Robinho e Thiago Neves; Pedro Rocha e David (Ezequiel). Técnico: Rogério Ceni.

FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gérson e Willian Arão; Vitinho, DArrascaeta e Bruno Henrique; Gabigol. Técnico: Jorge Jesus.

Arbitragem: Raphael Claus (FIFA/SP), auxiliado pelos Assistentes 1 e 2 Danilo Ricardo Simon Manis (FIFA/SP) e Neuza Inês Back (SP). Quarto Árbitro: Marco Aurélio Augusto Fazekas Ferreira (MG). Analista de Campo: Joel Tolentino da Mata Júnior (MG). Árbitro de Vídeo (VAR): José Cláudio Rocha Filho (SP). Assistentes VAR 1 e 2: Thiago Duarte Peixoto (SP) e Fábio Rogério Baesteiro (SP). Observador de VAR: Gilberto Corrale (SP).

Transmissão: PremierePremiere Play e PFCI (sistema pay-per-view, aplicativo e internacional).

Pendurados: Gabigol, Pablo Mari e Piris da Motta.

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Túnel do Tempo: Cruzeiro x Flamengo no Mineirão

11/11/1990 - Campeonato Brasileiro: Cruzeiro 1x2 Flamengo (Nélio, Fernando)


10/5/1991 - Campeonato Brasileiro: Cruzeiro 0x2 Flamengo (Nélio, 2 gols)

Não foram encontrados registros visuais em fontes abertas

18/9/1993 - Campeonato Brasileiro: Cruzeiro 1x2 Flamengo (Rogério e Marcelinho Carioca)


10/5/1995 - Copa do Brasil: Cruzeiro 0x1 Flamengo (Sávio)


15/11/1995 - (Dia do Centenário) - Supercopa dos Campeões da Libertadores da América: Cruzeiro 0x1 Flamengo (Ronaldão)


8/11/2001 - Campeonato Brasileiro: Cruzeiro 0x1 Flamengo (Roma)


15/6/2016 - Campeonato Brasileiro: Cruzeiro 0x1 Flamengo (Réver)


29/8/2018 - Copa Libertadores da América: Cruzeiro 0x1 Flamengo (Léo Duarte)



25/11/2018 - Campeonato Brasileiro: Cruzeiro 0x2 Flamengo (Everton Ribeiro, 2 gols)



Bom dia e SRN a tod@s.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

A Maratona

Ontem decisão da Copa do Brasil. Internacional um time taticamente a moda antiga. Uso de pivô para concentrar a bola na frente. Chutões para ele e jogadas laterais. Athletico PR, um time mais organizado. À exceção do bom jogador Rony, o CAP não tem grandes valores individuais mas ontem foi o rei caolho de terra de cego. Jogo ruim de assistir até pela precariedade do técnico do Internacional que tira os jogadores mais pensantes no time para apostar na única bola que o salvaria, enchendo o time de flechas sem um arco para eles. Resultado? CAP toma conta do jogo e fez um belo gol no fim, com direito a uma desistência de dois jogadores adversários do lance após um belo drible do Cirino, o que achava que poderia ser novo Zico. CAP campeão justo. Ganhou nos pênaltis do Flamengo, que por sinal, perderia nos pênaltis de qualquer um naquela noite e depois nos pênaltis contra o Grêmio. Copa do Brasil é um torneio bom de ganhar para elencos sem fôlego de uma conquista mais lapidada e duradoura. Como o Campeonato Brasileiro. Copa do Brasil é uma corrida de 200m. Monta-se um time para isto. Libertadores diria que é uma corrida de 800m, até pela distância entre as diferentes fases, e o Campeonato Brasileiro é uma maratona.

No momento Flamengo está bem na maratona. Terminou a metade do trecho em primeiro. Mas isto não ganha medalha nem prêmio. É apenas um bom sinal. E só. Precisa percorrer um longo trecho em que inúmeras dificuldades ocorrerão no trajeto. Jogadores serão suspensos, se machucarão, serão convocados às seleções e o campeonato não irá parar. O time titular do Flamengo é fechado. Não há tantas peças de reposição à altura dos titulares. Quando um sai, o Mister tem que invariavelmente ajustar o esquema. Se mais de um sair, mais ajustes, até poder chegar ao ponto do Frankenstein. E o esquema tático do Flamengo não é simples, tipo o do Odair Hellman no Inter. É complicado. Repleto de variantes defensivas e de articulação complexas de jogadas de ataque. O que complica a entrada de outros jogadores fora do time titular, que, como uma orquestra, já toca uma música de boa qualidade, com bom equilíbrio entre defesa, meio de campo e ataque.  

Cabe a torcida ter paciência. Até porque há outros bons times. Palmeiras tem um elenco recheado de bons jogadores. Santos tem um grande técnico no banco que chega a superar a qualidade de seus jogadores, formando um time melhor do que seria com qualquer outro técnico. São os times a serem batidos, ao menos é que se pressupõe no momento. Pois a maratona é uma corrida coletiva. Percalços podem ocorrer aqui e acolá também.





quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Sem facilidade













Irmãos rubro-negros,


O Flamengo segue a preparação, tão importante, para as próximas partidas. A preparação a que me refiro está sendo desenvolvida durante estas semanas livres que o time tem tido.

Para nós, a semana sem jogos traz um vazio muito grande; mas para a equipe e a comissão técnica, é uma oportunidade ímpar de treinar os aspectos, físico, técnico, tático e psicológico do time.

Porque para o Flamengo nossas vitórias são sempre sofridas. 

Nada vem de mão beijada para o Flamengo.

Nosso adversário de sábado, por exemplo, botou o ingresso a preço de duas mariolas, embora para a nossa torcida o ágio tenha sido de mais de 10 vezes o que cobraram para os locais. Ano que vem, que a nossa diretoria se lembre disso e aplique idêntica regra a todos que nos tratam assim.

Eles tentarão criar um clima de final de Copa do Mundo, afinal o Flamengo estará em campo. Excelente oportunidade para aproveitar o desespero deles. 

E não é só o nosso adversário de sábado que está desesperado. O da semifinal da Taça Libertadores da América também não esconde sua fragilidade emocional. 

Que eles sempre apelam para certas pequenezas, como instrumento de motivação, todos nós flamengos sabemos. É um papo insuportável de "orgulho gaúcho" que faz até os rivais locais se unirem quando o assunto é o Clube de Regatas do Flamengo.

Enquanto o técnico deles vomita pela boca, com papo de que "jogam muito", "o mais bonito futebol", "campeão há três anos", o Flamengo está na dele, quieto.

Não se vê, lê ou ouve uma manifestação desrespeitosa ou de arrogância dos nossos jogadores, da nossa diretoria ou da nossa comissão técnica. Ao revés, Jorge Jesus tem sido de uma elegância muito grande sempre que tentam lhe apresar nessas armadilhas da fanfarronice tão comuns ao treinador adversário. 

Mas tudo tem a sua hora e o jogo que temos de focar no momento é o do próximo sábado. 

Jogo difícil, que vai exigir muito da nossa equipe.

A confiança no Mengo, como sempre, é total. E a nossa fé não depende da qualidade dos jogadores, da comissão técnica ou do tamanho da conta bancária do clube. Evidente que um time com jogadores talentosos e um técnico competente potencializa nossa esperança. 

Mas ela vem antes de tudo da camisa e da tradição do Clube de Regatas do Flamengo. Vem do amor da torcida rubro-negra, a maior, mais fanática e melhor torcida de futebol do mundo.

E aos nossos jogadores e à nossa comissão técnica, fica o humilde pedido: honrem nossa camisa, o amor que devotamos ao Flamengo e o carinho que nutrimos por cada um de vocês. 









...




Abraços e Saudações Rubro-Negras.

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.


terça-feira, 17 de setembro de 2019

Extinção do Perrengue


SRN, Buteco

Perrengue : Significado de perrengue. O que é perrenguePerrengue refere-se a uma situação de dificuldade, aperto, sufoco.

Já faz algumas rodadas que, por motivo de quantidade de gols inalcançável , os finais de jogos do Flamengo tem sido tranquilos.

Deixamos de dar ao adversário a oportunidade de cruzar uma bola na área, de chutar de média distancia, sequer lateral perto da defesa tem acontecido.

A bem da verdade, em muitos jogos o adversário não tem conseguido finalizar com perigo nos noventa minutos, não só no final.

Até bem pouco tempo, era recorrente que, lá pelos 30,35 do segundo tempo, começa a dar sinais de que queria administrar o resultado, seja lá qual fosse.

E quando isso ocorria com vantagem minima no marcador, ninguém se sentia seguro pra afirmar que o placar iria se manter até o final.

Outro fato comum era que, a cada gol perdido, o pensamento imediato era de que ia fazer falta no final.

Quanto mais gols perdidos, maior a certeza de que íamos tomar um gol no fim.

No jogo de sábado, dada a dificuldade imposta pelo Santos, achei que ia acontecer algum tipo de, digamos, desconforto em relação ao final do jogo.

Mas o que se viu foi um time maduro, ciente do seu poderio e absolutamente tranquilo de suas capacidades físicas e técnicas

Senhor absoluto de seus domínios.

O Flamengo está acabando com o perrengue de final de jogo.

E isso é uma coisa que eu adoraria me acostumar...



                                                    Visitantes não são bem vindos

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

O Desafio da Liderança

Salve, Buteco! Ah, a liderança, doce liderança... Vivemos um momento histórico. Como escrevi em outros textos e comentários, considero o Flamengo de Jorge Jesus o melhor que tivemos depois de 1982, o que, entendam, não quer dizer que algum dos títulos em disputa esteja ganho. Muito pelo contrário, o futebol é pródigo em exemplos de verdadeiros esquadrões que encantaram o mundo, porém ficaram no caminho da penosa estrada dos grandes títulos. É o caso da Holanda de Johann Cruijff (ídolo do nosso treinador português), conhecida como "Laranja Mecânica", que talvez represente uma das maiores injustiças da história desse esporte, senão a maior de todas. Se aquela seleção perdeu, qualquer time no mundo pode perder. Ninguém é invencível. Tenho todos os jogos da Holanda/1974 em vídeo, além de alguns outros da época, e confesso a vocês que até hoje me encanto com aquele futebol total e coletivo, que não impedia, mas na verdade potencializava o talento de Cruijff. Gosto de como Rinnus Mitchell, claro que cercado de jogadores intelectualmente privilegiados, como ele próprio sempre frisou, equilibrou o coletivo e o individual, colocando o talento a serviço do conjunto.

Nosso treinador português, como vocês podem perceber, tem as melhores referências possíveis dentro do futebol, e por isso não é de se estranhar o que temos visto no Flamengo por ele dirigido. Sábado, como JJ bem frisou, presenciamos em solo brasileiro, entre duas grandes equipes brasileiras, um confronto em nível tático que não faria feio em relação aos que assistimos nas melhores ligas europeias. Jogos truncados há tanto lá como cá, mas a quantidade de jogadores com que cada equipe atacava, a marcação alta de lado a lado, seguidas de frenéticas recomposições para conter contra-ataques fulminantes, bem, isso é bastante raro em gramados brasileiros.

Nesse cenário e a despeito do ótimo jogo coletivo do Santos de Jorge Sampaoli, o Flamengo conseguiu neutralizar as investidas adversárias por quase todos os 90 minutos de jogo e, especialmente no segundo tempo, após abrir o placar no final dos primeiros 45 minutos, poderia ter ampliado a contagem. Estou fascinado com a sobriedade desse Flamengo "europeu" (no bom sentido, no do moderno, técnico e tático futebol europeu), que vem crescendo a cada partida e cuja evolução defensiva não retira a qualidade e nem a agressividade da proposta de jogo ofensivo.

Porém, calma, pessoal, que não é oba-oba. É apenas a felicidade contida de um torcedor consciente de que nosso treinador não se contentará com o título de "Campeão de Inverno" em um país tropical. Jorge Jesus, além de vitorioso, também é calejado e, sabendo que não tem nada ganho, cuida de não permitir que a euforia adentre o nosso Centro de Treinamento. As palavras do nosso treinador na coletiva pós-jogo do sábado não me deixam mentir. Ocorre que qualquer pessoa que acompanhe com atenção o futebol brasileiro e esteja disposta a discutir com isenção a edição de 2019 do campeonato nacional já enxergou que, salvo alguma hecatombe do tipo múltiplas contusões ou alguma treta monstra que a maturidade atual do clube não deixaria frutificar, o Flamengo tem tudo para levar o título. Estamos falando de um trabalho de apenas 16 jogos e que, desse modo, ainda tem muito o que evoluir. Logo, não é que eu esteja cantando vitória antes do tempo, mas apenas constatando que, em um torneio baseado na regularidade de desempenho, ninguém está trabalhando em tão alto nível e nem com tanto foco e seriedade quanto o Flamengo. 


***

O caminho para a glória, contudo, é repleto de armadilhas. Eis o calendário do Mais Querido até e depois de uma possível e eventual final de Libertadores:

Data
Competição
Fase
Adversário
18 /9
4ª Feira
Copa do Brasil (final – Volta)
Sul-Americana (Semifinal) (Ida)
Livre
21/9
Sábado, 17:00h
Brasileiro
20ª Rodada
Cruzeiro (f)
Mineirão
25/9
4ª Feira, 21:30h
Brasileiro
21ª Rodada
Internacional (c)
Maracanã
28/9
Sábado, 19:00h
Brasileiro
22ª Rodada
São Paulo (c)
Maracanã
2/10
4ª Feira, 21:30h
Libertadores
Semifinal (Ida)
Grêmio (f)
Arena do Grêmio
6/10
Domingo, 19:00h
Brasileiro
23ª Rodada
Chapecoense (f)
Arena Condá
10/10
5ª Feira, 20:00h
Brasileiro
24ª Rodada
Attico/MG (c)
Maracanã
16/10
Domingo, 16:00h
Brasileiro
25ª Rodada
Athletico/PR (f)
Arena da Baixada
16 ou 17/10
4ª Feira, 20:00h
Brasileiro
26ª Rodada
Fortaleza (f)
Castelão
20/10
Domingo, 18:00h
Brasileiro
27ª Rodada
Fluminense (c)
Maracanã
23/10
4ª Feira, 21:30h
Libertadores
Semifinal (Volta)
Grêmio (c)
Maracanã
26 a 28/10
FDS/2ª Feira
Brasileiro
28ª Rodada
CSA (c)
Maracanã
30 ou 31/10
4ª ou 5ª Feira
Brasileiro
29ª Rodada
Goiás (f)
Serra Dourada
2 a 4/11
FDS/2ª Feira
Brasileiro
30ª Rodada
Corinthians (c)
Maracanã
6 ou 7/11
4ª ou 5ª Feira
Brasileiro
31ª Rodada
Botafogo (f)
Engenhão
9 a 11/11
FDS/2ª Feira
Brasileiro
32ª Rodada
Bahia (c)
Maracanã
Livre
Livre
Livre
Livre
16 a 18/11
FDS/2ª Feira
Brasileiro
33ª Rodada
Grêmio (f)
Arena do Grêmio
Livre
Livre
Livre
Livre
23/11
Sábado
Libertadores
Final (Jogo Único)
Indefinido (n)
Estádio Nacional de Chile
23* a 25/11
FDS/2ª Feira
Brasileiro
34ª Rodada
Vasco da Gama (c)
Maracanã
27 ou 28/11
4ª ou 5ª Feira
Brasileiro
35ª Rodada
Ceará (c)
Maracanã
30/11 a 2/12
FDS/2ª Feira
Brasileiro
36ª Rodada
Palmeiras (f)
Indefinido
4 ou 5/12
4ª ou 5ª Feira
Brasileiro
37ª Rodada
Avaí (c)
Maracanã
8/12
Domingo
Brasileiro
38ª Rodada
Santos (f)
Pacaembu ou Vila Belmiro

Observem que a tabela desperta algumas dúvidas e curiosidades, como, por exemplo, pelo fato de, nos três jogos que antecedem a primeira partida da semifinal da Copa Libertadores da América, o Flamengo enfrentar Cruzeiro, Internacional e São Paulo, enquanto o Palmeiras enfrentará Fortaleza, CSA e Internacional. Divagações à parte, o "lado bom" da atual sequência de jogos é que, ao contrário do que ocorreu no início do primeiro turno, o Flamengo disputará os dois últimos jogos antes da Libertadores no Maracanã. 

A mini-maratona de clássicos interestaduais se iniciará no próximo sábado, quando enfrentaremos o Cruzeiro com treinador muito pressionado pelos últimos resultados. A partir da quarta-feira seguinte, uma difícil sequência de dois jogos no Maracanã, começando com o Internacional de Paolo Guerrero e Rodrigo Caetano, o qual ainda não sabemos se estará curando a ressaca positiva do título da Copa do Brasil ou sob a enorme pressão de conquistar ao menos uma vaga na Libertadores/2020. Em seguida, virá o São Paulo de Cuca, do Rogério Caboclo, da arbitragem e de toda a imprensa paulista, o rival brasileiro que tem o melhor retrospecto contra o Flamengo, inclusive no Maracanã, mas que não aceita a realidade do jejum de títulos e nem dos grandes investimentos sem critério que, por isso mesmo, não rendem os resultados esperados.

Tudo isso antecederá o confronto contra o Grêmio, que certamente utilizará o time C contra o Fluminense no mesmo final de semana em que enfrentaremos o São Paulo. O Grêmio, time com vários jovens extremamente talentosos, não tem a mesma consistência do Flamengo, e por isso apostará no abafa e no jogo físico para se impor em Porto Alegre. A pesada maratona do final de setembro desafiará tanto a liderança, quanto o sonho de classificação da Libertadores.


***

Depois do Grêmio, não que passe a ficar fácil, mas a tabela aliviará um pouco a vida do Mais Querido, embora não por muito tempo. Chamam a  minha atenção o Fla-Flu em um domingo, 18:00h, às vésperas do segundo jogo da semifinal da Libertadores, exigindo especial atenção para a recuperação dos atletas, e principalmente o clássico com o Vasco da Gama no mesmo final de semana em que está marcada a final em Santiago. Provavelmente não por coincidência, os dois meios de semana que antecederão o final de semana no qual será disputada a final da Libertadores/2019 não têm jogos marcados, eis que, a partir de então, todos os meios de semana estarão ocupados pelas rodadas restantes do Campeonato Brasileiro.

Como imagino que a CBF não cogite adiar uma partida para data posterior à última rodada do campeonato, parece evidente que as duas semanas anteriores foram programadas para ajustes na tabela decorrentes da presença de clubes brasileiros nas finais únicas das competições da CONMEBOL. Em termos práticos, hoje é possível a classificação de um ou dois clubes brasileiros (Atlético/MG e/ou Corinthians) para a final da Copa Sul-Americana, programada para sábado, 9 de novembro, em Assunção, e inevitável a classificação de um clube brasileiro (Flamengo ou Grêmio) para a final da Copa Libertadores da América, programada para 23 de novembro, em Santiago. Enquanto para os eventuais finalistas da Sul-Americana isso significará o adiamento de uma partida, para o finalista brasileiro da Libertadores da América representará a antecipação de uma rodada, o que, embora incomum, parece ser a única solução para o caso, pelo jeito já antevista pela CBF.

Porém, muito cuidado, pois o diabo mora nos detalhes. Vamos supor, apenas a título de planejamento e em nível de argumentação, que o Flamengo se classifique para a final da Libertadores/2019. Os anos como torcedor me ensinaram que, se existe um clube que tem por objetivo de vida prejudicar o Flamengo, é o Club de Regatas Vasco da Gama. É fácil constatar que será muito mais fácil para as Bigodudas da Marquise enfrentar um Flamengo preocupado com contusões no meio de semana que antecede uma final de Libertadores do que no meio de semana anterior, concordam? Além disso, a depender do clube paulista que esteja disputando o título com o Mais Querido na ocasião, a paulista CBF terá um prato cheio nas mãos para dificultar mais ainda as coisas para o nosso lado.

Pois bem. De acordo com o artigo 88 do Regulamento da Libertadores/2019, as equipes deverão estar em um raio de 100Km da cidade onde será realizada a partida até 24h antes de seu início. Todavia, no caso da final única, há uma peculiaridade: segundo  dispõe o §3º do mesmo artigo 88, a CONMEBOL definirá e informará, em circular específica, o prazo para os finalistas chegarem a Santiago.

Olhos abertos, Diretoria...


***

Agora sem os amistosos caça-níquel das seleções nacionais para atrapalhar, o Mais Querido terá de fato uma semana para preparar o time titular, livre de contusões, e o restante do elenco para a difícil e decisiva sequência que se iniciará o próximo sábado.

Com fé em Jesus e sob a bênção de São Judas Tadeu, o Flamengo triunfará.

Bom dia e SRN a tod@s.

sábado, 14 de setembro de 2019

Flamengo x Santos


Campeonato Brasileiro/2019 - Série A - 19ª Rodada

Sábado, 14 de Setembro de 2019, as 17:00h (USA ET 16:00h), no Estádio Jornalista Mário Filho ou "Maracanã", no Rio de Janeiro/RJ.


FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gérson e Willian Arão; Éverton Ribeiro, DArrascaeta e Bruno Henrique; Gabigol. Técnico: Jorge Jesus.

Santos: Everson; Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres; Victor Ferraz, Carlos Sánchez, Alison e Jorge; Marinho, Eduardo Sacha e Soteldo. Técnico: Jorge Sampaoli.

Arbitragem: Braulio da Silva Machado (FIFA/SC), auxiliado pelos Assistentes 1 e 2 Kleber Lúcio Gil (FIFA/SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC). Quarto Árbitro: Philip Georg Bennett (RJ). Analista de Campo: José Carlos Santiago Andrade (RJ). Árbitro de Vídeo (VAR): Rafael Traci (FIFA/SC). Assistentes VAR 1 e 2: Willian Machado Steffen (SC) e Alex dos Santos (SC). Observador de VAR: Giulliano Bozzano (MG).

Transmissão: PremierePremiere Play e PFCI (sistema pay-per-view, aplicativo e internacional).

Pendurados: Pablo Mari e Piris da Motta.