terça-feira, 12 de novembro de 2019

Quase lá


SRN, Buteco.

Vitória de virada, vantagem subiu de novo para dois dígitos , e título muito próximo.

No caminho até a glória, o time vai passando por testes e situações que, em um passado bem recente, invariavelmente naufragava.

No jogo contra o time em processo de extinção, houve uma batalha campal por parte dos lacrimosos, que insistiam em distribuir coices com o beneplácito da arbitragem.

Muitas vezes vimos outras equipes do Flamengo sucumbir a esse expediente , seja ficando intimidado ou cedendo aos nervos como jogo sujo adversário.

Não esse time. Suportou bem as agressões e jogou bola o tempo todo, até ser recompensado com o gol no final.

Já contra o Bahia, teve contra si a experiencia de sair atras do marcador jogando em casa. E, além disso, enfrentou um time que jogou muito bem, como sempre fazem os adversários do Flamengo.

Depois de um primeiro tempo insosso, uma atuação avassaladora na etapa complementar trouxe as coisas à sua ordem natural.

E ficamos com a impressão que a capacidade técnica desse time é tão grande, tão superior aos demais, que as vezes temos a impressão que se resguardam, que descansam em campo, jogando em baixa intensidade, quase treinando
.
E assim seguimos em frente.

Jogando e vencendo por mérito próprio.





11 dias....

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Fim de Semana Abençoado

Salve, Buteco! O domingo de 10 de novembro de 2019 amanheceu com a expectativa do aumento da vantagem na liderança do Mais Querido do Brasil sobre o segundo colocado no Campeonato Brasileiro. Enquanto aguardava as 18:00h, o torcedor rubro-negro assistiu à transmissão de River Plate 0x1 Rosario Central, pelo Campeonato Argentino, na Fox Sports, com João Guilherme. O jogo me lembrou um pouco o 0x1 contra o Ceará no Maracanã e mesmo o primeiro tempo de ontem contra o Bahia. Faltou inspiração ao nosso adversário do dia 23, que inegavelmente é uma equipe muito bem treinada por Marcello Gallardo. Porém, o triunfo canalla reforçou a impressão que tenho, desde a fase de grupos da Libertadores/2019, de que o atual campeão River Plate sofre algo parecido com o que vive o Manchester City de Pep Guardiola, estando entre o que resta de um grande e longo trabalho vitorioso e a decadência natural de quem chega ao topo. O grande campeão ainda respira, mas não tem a mesma força de outrora.

Falando em Pep Guardiola, a tarde de domingo se iniciou com a transmissão de Liverpool x Manchester City pela Premier League, na ESPN Brasil, com Mauro Cézar Pereira. Gostei de ver como o seu City, após estar com 0x3 no placar, encontrou uma forma de encurralar o Liverpool de Juürgen Klopp e perdeu gols inacreditáveis, que poderiam ter deixado o final de partida ainda mais emocionante do que foi. O City não é o mesmo do bicampeonato inglês, mas ainda dá um bom caldo. Só os grandes campeões não desmoronam diante de um acachapante Liverpool, que tem o time e o treinador do momento. Claro que o mérito da vitória deve ser creditado a esse verdadeiro esquadrão, que, se estiver em um bom dia, dará poucas chances ao Flamengo em uma eventual final do Mundial da FIFA, o que certamente obrigará Deus, Jesus, São Judas Tadeu e o Espírito Santo a estarem de plantão.

Quem acompanha futebol sabe que em 90 (noventa) minutos tudo pode acontecer. A evidente superioridade do Flamengo sobre o River Plate é proporcional à superioridade do Liverpool em relação ao Flamengo. Nossa esperança e, por que não dizer, nossas chances em uma eventual final de Mundial são as mesmas do River Plate em Lima. Cinco anos e meio de trabalho de Gallardo podem muito bem ter seu gran finale em Lima, assim como Jesus pode operar um milagre e extrair o melhor do elenco rubro-negro em um dia mágico em Doha, Qatar.

***

Finalmente o domingo chegou a sua décima-oitava hora, porém os primeiros quarenta e cinco minutos do Mais Querido em campo lembraram bastante o River Plate derrotado pelo Rosario Central no Monumental de Nuñez, depois de vinte e dois anos: parecia que o Bahia reviveria as vitórias da década de 90 no Rio de Janeiro. Não sei se foi ideia de Deus ou de Jesus, Pai e Filho, nas formas de auxiliar e treinador, mas Everton Ribeiro não funcionou na direita, duelando, auxiliado por Rodinei, contra um Moisés com o dobro de seu tamanho e uma força bíblica, claramente em melhores condições físicas. O erro era tão evidente que o milagre da modificação não precisava ter ficado para os quarenta e cinco minutos finais. Para piorar, o time cismou em insistir por aquele lado, quando Filipe Luís e Vitinho claramente poderiam, quando menos, variar o jogo e abrir um leque de oportunidades. A coisa não andou bem e o Bahia, ao menos na primeira etapa, emulou o Rosario Central da manhã de domingo.

Veio então o segundo tempo, quando finalmente o Flamengo resolveu jogar pela esquerda com Filipe Luís, dos pés de quem, sob a égide de Deus e de Jesus, parece que tudo se cria e se transforma. Houve também o milagre da substituição, permitindo a um ungido Reinier, de contrato renovado, empatar a partida e abrir caminho para a virada. Bruno Henrique, com atuação apagada, mas com o brilho dos escolhidos, mais uma vez foi decisivo, e Gabigol, abençoado pelo profeta Roesing, deu números finais à partida. Aliás, muito embora nosso artilheiro tenha igualado o recorde do Galinho de Quintino em brasileiros, foi Arão que cobrou falta como se o eterno camisa 10 fosse, gerando o rebote divinamente cedido pelo travessão ao nosso artilheiro benzido e bendito.

O domingo abençoado teve ainda a conversão do amigo Laercio ao cair da noite, um dos poucos que ainda não haviam se convertido e se rendido à Boa Nova: o Flamengo ainda não é, mas será campeão brasileiro de 2019.

***

Quarta-feira enfrentaremos um Vasco da Gama motivado pelo sonho distante da Libertadores e pela chance de atrapalhar a vida do Flamengo. Já no domingo será o dia de fazer a escolha entre lutar por três pontos, quebrando um tabu de décadas em Porto Alegre e talvez até viajar para Lima já campeão brasileiro, ou resguardar os titulares para a final do dia 23.

Nação, seguremos nas mãos de Deus e de Jesus e vamos, sem medo.

Bom dia e SRN a tod@s.



domingo, 10 de novembro de 2019

Flamengo x Bahia


Campeonato Brasileiro/2019 - Série A - 3 Rodada

Domingo, 10 de Novembro de 2019, as 18:00h (USA ET 17:00h), no Estádio Jornalista Mário Filho ou "Maracanã", no Rio de Janeiro/RJ.

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gérson e Willian Arão; Everton Ribeiro, Vitinho e Bruno Henrique; Gabigol. Técnico: Jorge Jesus (João de Deus).

Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Flávio, Gregore e João Pedro; Arthur, Gilberto e Élber. Técnico: Roger Machado.

Arbitragem: Caio Max Augusto Vieira (RN), auxiliado pelos Assistentes 1 e 2 Fabiano da Silva Ramires (ES) e Jean Márcio dos Santos (RN)Quarto Árbitro: Phillip Georg Bennett (RJ). Analista de Campo: Edilson Soares da Silva (CBF). Árbitro de Vídeo (VAR): Emerson de Almeida Ferreira (MG). Assistentes VAR 1 e 2: Marco Aurélio Fazekas Augusto Ferreira (MG) e Flávio Gomes Barroca (RN). Observador de VAR: Cláudio Vinicius Cerdeira (BR).

Transmissão: PremierePremiere Play e PFCI (sistema pay-per-view, aplicativo e internacional).

Pendurados: Diego, Gérson, Matheus Thuler, Renê e Willian Arão.

Suspenso: Rafinha (3º cartão amarelo)


sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Flamengo x Bahia no Rio de Janeiro

Salve, Buteco! Hora de seguirmos em frente e direcionarmos nossa atenção para adversários que a merecem, o que não é o caso de clubes pequenos de torcida recalcada e emocionalmente transtornada, que vive do passado. Domingo tem Flamengo x Bahia no Maracanã, as 18:00h, pela 32ª Rodada do Campeonato Brasileiro. Muito embora a história do confronto entre os dois clubes remonte ao distante 1932, somente em 1979 vieram a se enfrentar no Maracanã, quando o Mais Querido aplicou 4x0 pelo Campeonato Brasileiro. Infelizmente, não encontrei registros de imagem do confronto em fontes abertas, mas o Bahia ainda retornou ao Maracanã em 1981 e 1985, tendo sido derrotado por 2x0 e 3x0 e permanecendo sem marcar gols no Estádio.

Os clubes só voltaram a se enfrentar no Rio de Janeiro na década de 90, a qual marcou o início de um longo jejum do Mais Querido sem vencer o Bahia no Estado, o qual só veio a ser quebrado em 2003, na estrondosa goleada de 6x0 pelo Campeonato Brasileiro, sob a batuta de Edilson Capetinha. Contudo, os confrontos rarearam desde então, em razão do longo passeio do tricolor baiano pelas Séries B e C, voltando a ocorrer com mais frequência nesta década, com a volta do Bahia à elite do futebol brasileiro, primeiro em 2013 (rebaixamento em 2014) e depois em 2017, onde permanece até a presente temporada.

Desde então, em razão do sistema de pontos corridos, os confrontos no Rio de Janeiro vêm ocorrendo anualmente, quase sempre com vitória rubro-negra. A exceção foi o empate (1x1) no Brasileiro/2014, em Macaé.

Vejamos algumas imagens de vitórias rubro-negras no Rio de Janeiro.

1981



1985


2003


2013


2017



2018


Bom dia e SRN a tod@s.

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Botafogo x Flamengo


Campeonato Brasileiro/2019 - Série A - 31ª Rodada

Domingo, 7 de Novembro de 2019, as 20:00h (USA ET 19:00h), no Estádio Olímpico Nilton Santos ou "Engenhão", no Rio de Janeiro/RJ.

Botafogo: Gatito Fernández; Fernando, Joel Carli, Gabriel e Yuri; Cícero, João Paulo e Alex Santana; Luiz Fernando, Igor Cássio e Leonardo Valencia. Técnico: Alberto Valentim.

FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Renê; Gérson e Willian Arão; Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Vitinho; Gabigol. Técnico: Jorge Jesus.

Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden (RS), auxiliado pelos Assistentes 1 e 2 Rafael da Silva Alves (RS) e Lúcio Biersdorf Flor (RS)Quarto Árbitro: João Batista de Arruda (RJ). Árbitro de Vídeo (VAR): Wagner Reway (FIFA/PB). Assistentes VAR 1 e 2: Ígor Júnio Benevenuto de Oliveira (MG) e Felipe Alan Costa de Oliveira (RS). Observador de VAR: Alício Pena Júnior (BR).

Transmissão: PremierePremiere Play e PFCI.

Pendurados: Diego, Gérson, Matheus Thuler, Rafinha, Renê, Willian Arão e Jorge Jesus.


O artificialismo de resultados

Flamengo joga hoje contra o Botafogo. E tem contra si todo o peso de uma colossal ajuda ao Palmeiras para ultrapassar o Flamengo em número de pontos. Não há mais escrúpulos, nem sequer tentam esconder. O campeonato brasileiro virou um assalto a mão armada de apito e VAR em pró de um único clube.

Flamengo pode ganhar aqui, pode ganhar ali, mas tem o peso deste fantasma de corrupção de valores e má fé em seus calcanhares. Hoje a vantagem é de 5 pontos. Apenas. 

Como o futebol brasileiro chegou a este ponto e vimos todo o ambiente no entorno acatar esta ordem de coisas é algo a ser objeto de reflexão. Porque os brasileiros de uma forma geral, não só no futebol, mas na política, aceitam a corrupção desenfreada, desmandos torpes, gente vis e pérfidas, de alma sujas de esgoto, comandarem as ações na sociedade? Não há revolta. Não há um movimento organizacional dos envolvidos para que este estado trevoso de coisas deixe de existir. Por qual motivo a sociedade está cooptada pela corrupção mais vil sem que tenha qualquer retorno ainda que em migalhas por isto?

Clubes e Federações nada fazem. Deixam a CBF ocupada pelo pessoal mais bairrista e xenófobo possível comandarem a confederação já por longos anos. Não há sequer um movimento da imprensa organizada em pró da lisura da competição, em pró das regras claras.

Tudo é deturpado. O próprio VAR é usado como mais uma ferramenta de manipulação de resultados. Estendendo o controle da arbitragem em campo para uma sala fechada que só o Diabo sabe o que combinam entre si com interferência externa.

Ganhar esta competição na bola é quase que virtualmente impossível. Precisa de um clube sobrar em campo como o Flamengo e marcando gols em série, para ver anulados vários, e evitar gols do adversário com uma ótima zaga e marcação. Tem que sobrar muito na bola, mas ainda assim neste momento só são 5 pontos de vantagem. Isto se tira em um estalar de dedos e é isto que a CBF Paulista espera junto com o Banco de empréstimos a 1000% e subindo.

Ganância desenfreada, falta de escrúpulos.

O futebol é a mais perfeita representação do brasileiro.

De um lado seres trevosos abjetos no comando. Do outro a platéia vendo o espetáculo grotesco que é praticado. E não reagem. 





quarta-feira, 6 de novembro de 2019

06 de Novembro de 2019












Irmãos rubro-negros,





Hoje é dia seis de novembro de 2019.

Estamos chegando aos momentos que definirão o que o Flamengo de Jorge Jesus é capaz de fazer.

Eu digo a vocês, de coração, que este é um dos momentos mais especiais que tenho vivido em meus mais de 40 anos como flamengo.

Fica uma sensação de eternidade, a vontade de que tudo isso não termine e se perpetue eternamente.

Que São Judas Tadeu nos ajude e interceda pelo nosso amado Flamengo.

Fé e amor. Sempre.











...





Abraços e Saudações Rubro-Negras.

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.