segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Fla 100% no Sábado de Carnaval

Salve, Buteco! O Mais Querido é 100% em jogos oficiais na temporada 2017 e está na semifinal da Taça Guanabara, quando no próximo sábado enfrentará o tradicional rival Vasco da Gama. Nas redes sociais e neste espaço circulam os mais diversos argumentos para explicar a campanha. Via de regra, há um consenso segundo o qual o time ainda não apresentou um futebol plenamente convincente, muito menos "a tal da compactação" que os times melhor armados taticamente exibem no futebol moderno. A partir daí surgem as divergências: enquanto há quem diga que o quadro é absolutamente normal em início de temporada, inclusive porque no Brasil não há quem esteja "tinindo nos cascos" entre os times grandes, outra parcela da torcida se preocupa com a Libertadores da América e o difícil grupo que o Flamengo integra.

Ou seja, para uns a melhora do time é apenas questão de tempo, enquanto para outros a questão tática preocupa na Libertadores.

***

Ontem, em Volta Redonda, contra um Madureira até então também 100%, no primeiro tempo o Flamengo conseguiu dominar territorialmente o adversário, mas não envolvê-lo com um futebol de passes e jogadas bem articuladas. Ao contrário, nesse fundamento pareceu errar mais do que o costume, e o gol de Diego saiu em uma jogada que para mim mostrou oportunismo: no espaço que o zagueiro Madureira ocupava antes de ser expulso o nosso maestro encontrou o caminho para mandar a bola no ângulo e abrir o placar.

O Madureira ameaçou reagir mesmo com um a menos, tendo a trave nos salvado, mas após o gol de Guerrero o tricolor suburbano desmoronou mentalmente e o Flamengo cuidou de construir uma confortável goleada contra o adversário com um a menos em campo. Destaque, é claro, para o golaço de Lucas Paquetá, a quem faço votos para que consiga se firmar no elenco profissional. Por sinal, o teste tático foi interessante e naquele momento o Flamengo formava um 4-1-4-1 com Mancuello e Paquetá jogando como meias internos, enquanto Gabriel e Everton se posicionavam abertos pelas extremas, todos compondo a segunda linha de quatro.

Também digna de nota foi a autêntica jogada de ponta feita por Felipe Vizeu no gol de Mancuello, fundamento (movimentação) que o jovem atacante ainda não havia mostrado no profissional.

***

Falando em testes e como comentei na sexta-feira no post do meu amigo Luiz Mengão Eduardo, o Flamengo pode não ter jogado uma partida vistosa contra o América/MG no Bezerrão, mas considero importantes os que Zé Ricardo vem promovendo. Se ainda não ajustou o time taticamente, nosso treinador tem se mostrado mais flexível do que em 2016, ao menos nesse início de temporada. O mais difícil é encontrar uma fórmula que dê liberdade para os jogadores se movimentarem na frente em coordenação com uma recomposição defensiva eficiente.

Por enquanto os times do Flamengo que têm ido a campo ainda estão excessivamente presos à rígida concepção de pontas fixos, o que possivelmente explica o alto número de cruzamentos e a escassez de jogadas articuladas com trocas de passes. Ontem não foi exceção: novamente o time abusou dos cruzamentos para a área. Falta movimentação harmônica que aproveite de forma objetiva o alto índice de passos certos que a equipe normalmente apresenta. O discurso é bonito, mas a prática não é nem um pouco fácil.

***

Se o Flamengo ganhar do Vasco e, projetando uma final de Taça Guanabara, do Fluminense 100%, certamente haverá quem não se convença em razão da má-fase da equipe cruzmaltina, egressa da Série B do Campeonato Brasileiro, e também pelo fato do Fluminense ainda não ter jogado à vera em 2017, contra adversários fortes ou em boa-fase. No campo da retórica, sempre haverá espaço para o contraponto. É inegável, contudo, que na prática clássicos regionais nunca foram fáceis e tendem a servir como um bom "esquenta" para a Libertadores.

A verdade é que só saberemos se o Flamengo estará pronto para o maior desafio sul-americano durante o curso da competição. Até lá, o jeito é curtir o time em campo e torcer para o Sábado de Carnaval ser rubro-negro, além do Zé Ricardo achar "a tal da compactação". Sim, filio-me à corrente "preocupados com a Libertadores", mas com a serenidade de quem começou 2017 com expectativas reduzidas no quesito e sem deixar de curtir os bons momentos que o futebol proporciona.

***

Quarta-feira tem Ceará no Castelão com o Mais Querido já classificado para as quartas-de-final da Primeira Liga. Que time você mandaria pra campo? E como você vê o Mengão 100%? Sucesso absoluto ou ainda tem o que provar? A palavra, como sempre, está com vocês.

Bom dia e SRN a tod@s.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Flamengo 4 x 0 Madureira

 


Taça Guanabara 2017 - 5ª Rodada - Grupo B

FLAMENGO: Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Rômulo, Willian ArãoDiego, MancuellEverton; Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

Madureira: Rafael Santos; Ruan, Diego Guerra, Jorge Fellipe e Wellington Saci; Rezende, Wellington Carvalho, Luciano e Douglas Lima; Júlio César e Souza. Técnico: Paulo César Gusmão.

Data, Local e Horário: Domingo, 19 de Fevereiro de 2017, as 17:00h (USA/ET 15:00h), no Estádio General Sylvio Raulino de Oliveira ou "Raulino de Oliveira" ou "Estádio da Cidadania", em Volta Redonda/RJ.

Arbitragem - João Batista de Arruda, auxiliado por Rodrigo Henrique Corrêa e Daniel Alves Pereira.

 

sábado, 18 de fevereiro de 2017

R.I.P., Futebol Carioca



Desculpem-me, amigos, mas eu não consigo falar nada sobre essa absurda decisão do juiz Guilherme Schiling, do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos do Rio de Janeiro. Entendo isso como um claro atestado de incompetência do poder público. As brigas e mortes acontecem porque são bandidos envolvidos, as torcidas são apenas um pretexto para que esses canalhas façam o que fazem. E, se as polícias, exército, Liga da Justiça, Vingadores, ninguém é capaz de impedi-los, a falência está instaurada.

Deixo para a discussão de vocês alguns casos em que brigas e mortes aconteceram com torcida única ou longe dos estádios.








sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Valeu pelos três pontos!





Gilvan de Souza/Flamengo



Irmãos rubro-negros,



Mengão venceu o jogo ontem com o time formado basicamente por jogadores reservas.

Valeu pelos três pontos e pela boa atuação de alguns atletas, como Donatti e Juan.

Mas não foi possível tirar grandes conclusões da partida, que foi disputada em ritmo lento, com a equipe demonstrando sonolência, pouca motivação e pouca movimentação ofensiva.

Me parece que o time ontem repetiu algumas deficiências da equipe titular, quando enfrenta um adversário fechado e que sai em velocidade: lentidão quando se tem a bola no pé e na compactação defensiva.

O time não marca firme, tem muita dificuldade em ganhar divididas e concede muito espaço ao adversário, que atuou com um jogador a menos em boa parte do segundo tempo.

Pouco se aproveita do jogo, afora dar ritmo de jogo e rodar o elenco. 


...



A partir da semana quem vem, contudo, os jogos decisivos iniciarão. 

Veremos do que o time é capaz, tendo em vista a estreia na Taça Libertadores da América, dia 08 de março, no estádio da Ilha do Governador.

Aliás, nossa casa na Ilha ficará maravilhosa. Panela de pressão total.

O estádio será um grande aliado do Flamengo.




Gilvan de Souza/Flamengo



...



Amigos, o carnaval está chegando.

Bora comprar muita Carabao e ajudar o Mengão!







...


Abraços e Saudações Rubro-Negras.

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Flamengo x América/MG

 


Primeira Liga - 2ª Rodada - Grupo B

FLAMENGO: Muralha; Rodinei, Donatti, Juan e Renê; Cuéllar, MárciAraújo, Gabriel (Adryan) e Everton; Berrío Damião. Técnico: Zé Ricardo.

América/MG: João Ricardo; Auro, Rafael Lima, Renato Justi e Pará; Gustavo Blanco, Ernandes, Renan Oliveira e Tony; Felipe Amorim e Hugo Almeida. Técnico: Enderson Moreira.

Data, Local e Horário: Quarta-Feira, 16 de Fevereiro de 2017, as 19:30h (USA/ET 21:30h), no Estádio Walmir Campelo Bezerra ou "Bezerrão", no Gama/DF.

Arbitragem - Rafael Traci, auxiliado por Luciano Roggenbaum e Jefferson Cleiton Piva da Silva, todos do Paraná.

 

Curtas

1 - Maracanã
Continua o absurdo caso "jabuticaba" do inquilino que não cumpre o contrato de aluguel, e, ao invés de pagar multa, é autorizado pelo proprietário a selecionar outro inquilino mediante pagamento. Ao proprietário, claro. Certo? Não, a ele, inquilino. Enquanto isto este não cuida do estádio e o deixa, literalmente, caindo em pedaços. Vai receber, como disse, uma bela grana por isto e não o Estado, que foi quem construiu. É o povo sendo roubado duas vezes. Não que já não esteja acostumado.

Um dos concorrentes é a Lagardere, que mesmo não tendo capital mínimo necessário para participar desta pseudo-licitação, foi autorizada pelo desastroso, lamentável, incompetente e...bem, você sabe,  Governador Pezão, a participar. E, ao que consta, ainda conta com sua aparente, como dizer, suspeita simpatia. Esta empresa está doida para colocar as unhas no dinheiro da torcida do Flamengo, o único que pode "pagar" pela utilização do estádio dado o tamanho ínfimo das outras torcidas.  Mais uma vez querem que o Flamengo vista a roupa de palhaço, e além da FERJ, sustente a Lagardere no Rio.

2 - Time do Flamengo
Contra times fracos apresenta um futebol mediano para bom. Contra times melhores postados, apresenta o futebol fraco para mediano, o que evidencia a enorme dificuldade tática do atual treinador Zé Ricardo, em que pese alguns bons momentos nos jogos e 100% aproveitamento em partidas oficiais. Até o momento. Mas enfrentou reservas. E os reservas deram calor e obrigaram o Flamengo recuar e ver a bola passeando em seu campo de lá para cá. Continuo com a firme convicção que temos uma comissão técnica aquém da aparente boa qualidade do elenco atual. Não vejo grandes avanços. Vejo bons jogadores se apresentando, entre eles Guerrero e  Trauco. Mas hoje nenhum time prescinde de um técnico sagaz que consiga ter opções táticas e mude o time durante o jogo e no intervalo. Vejo, portanto, com apreensão nossa apresentação na Libertadores, em que enfrentará escolas de técnicos (bem) superiores a arcaica brasileira.

3 - Torcidas organizadas no jogo contra o Botafogo
Infelizmente o futebol ainda serve como desculpa para sujeitos bestiais praticarem violência. E dá certo. Pois agridem, matam, arrebentam, depredam patrimônio público e privado, e dificilmente são presos ou impedidos de verem demais jogos. É win-win para eles. Acho que nem gostam de futebol. A vontade é apenas de sentir gosto de sangue e entrar em contato físico com outros homens. Chego a pensar que devem nem esquentar para que time "torcer". O negócio é entrar para uma torcida violenta. Se esta for do Vasco, Botafogo, Madureira, dane-se. Não importa para o psicopata. E assim vemos o episódio lamentável de torcidas organizadas marchando para o Engenhão, com demonstrações de violência, para deixar claro a todos o quanto são patéticos e inúteis ao esporte. 

4 - Marcio Araujo, Cuellar e Ronaldo.
Um jogador desnecessário, pereba ao extremo e irritante pelo conjunto da obra. Temos também um jogador com ótima presença, de seleção, talentoso e de enorme futuro. E ainda outro jogador que veio da base do Flamengo, que mostrou bom posicionamento, desenvoltura, habilidade e técnica na posição.

Para o atual treinador, o pereba tem prioridade. O selecionável fica sendo escalado em posições a la Avatar, montanha flutuante, e olhe lá. E o infeliz da base que fique no banco, ou mais provável no CT, e persiga Pokemons.

Tá difícil....

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Alfarrábios do Melo

"Não sou Botafogo, mas reconheço a tristeza de uma torcida que quase não ganha" (Consuelo Maldonado, turista mexicana, após assistir, no Maracanã, a Flamengo 2-0 Botafogo, em 02.03.1986)


APOLOGIA À PEQUENEZ

Glorioso! Campeão de onde és tu?
Pois aqui tu és somente
Campeão do “sururu”
Tua sede sobre nós já virou fome
Glorioso! Glorioso!
Que ironia é o teu nome.

Isto a todos irrita
Causa dó e compaixão
Ter o nome de “glorioso”
E nem sequer ser campeão

O “Glorioso” tem mesmo glórias
Pois já foi até campeão
No tempo que Eva era “back”
E o “goalkeeper” era Adão

“Glorioso”! És somente para os trouxas
Pois as lutas hoje em dia
São maiores e mais roxas
“Glorioso”, toma jeito
Quem é bom já nasce feito

O “Glorioso” quando quiser
Também pode ser campeão
Para isto basta somente
Ir pra segunda divisão
Para a “torcida gloriosa”
Isto causa uma grande mágoa
Pois a turma do rubro-negro
Joga até debaixo d'água

“Glorioso”! Glorificado podes ser
Pois se diz que “foi à glória”
Quem só vive a perder
Não tem glórias quem nasceu pra apanhar
Glorioso! Glorioso!
Vai primeiro te criar

Vocês não podem com a luta
Por isto deixem de prosar
Isto é bom para o Flamengo
Que é campeão de terra e mar
Chora, chora minha gente
Isto é mesmo pra chorar
Pois oito campeonatos num ano
Só o Flamengo pode tirar

Rubro-negro, desfralda o teu pavilhão
Pois ele eleva aos píncaros
O nome de uma nação
Dentre muitas, talvez mais de mil
És tu, ó Flamengo
Uma das glórias do Brasil.

(Poema “Gloriorita”, publicado no Jornal “O Imparcial”, em 23 de agosto de 1921, autoria sob pseudônimo “Miss Verity”)


O Flamengo, dois dias antes, vencera, na Rua Paysandu, o Botafogo por 3-1, praticamente eliminando o adversário da disputa do Campeonato Carioca. Alguns dias depois, o rubro-negro sagrou-se bicampeão.

Boa semana a todos,

Comments