quinta-feira, 21 de novembro de 2019

O Pertencimento

Imagem: Globo Esporte

O Flamengo dá esta sensação de pertencimento que creio que nenhum outro time permite. Sua torcida está em todo lugar, curtem se curtir e ainda que times mambembes tenham tido seu lugar na história do clube, sua torcida sempre soube que o Flamengo era o maior clube do mundo e que carregava um enorme potencial de voltar a ser aquele time grande e temido.

Demorou anos. Muitos anos. Teve que fazer uma revolução administrativa, em meio a muitas brigas internas, e cortar na carne. Saneando financeiramente e reposicionando processos administrativos visando uma administração moderna e competente.

A torcida, em todo lugar, comprou esta ideia. O Flamengo não ser mais motivo de deboche "eles fingem que me pagam e eu finjo que jogo" voltou a ser orgulho de todos. A Base do Flamengo ressurgindo depois de um longo tempo de trevas também. Assim como a reestruturação patrimonial, a construção de uma estrutura de treinamento impactante. Coloca qualquer time nos trinques, jogadores desejosos de virem pro Flamengo. Ao contrário de outros tempos em que perdemos jogadores até para o Botafogo.

Isto fez crescer o sentimento. É bom estar do lado de algo que funciona. A competitividade esportiva era o calcanhar de aquiles. A gestão passada não parecia ter este sentimento muito forte e desenvolvido como a atual. Tanto que esta retórica ajudou, merecidamente, a ganhar a eleição. Muitos rubro-negros  sentiam na pele que este fator estava faltando e apostou nestes caras. Ganharam por ampla maioria. 

Rei morto, rei posto. O que vimos desde o começo do ano foi a aposta neste sentido competitivo. Uma contratação errada de Abel não foi sendo arrastada como um peso morto por mais tempo que se devia por considerações ou simpatias pessoais de dirigentes amadores ou mesmo dito profissionais. Foi trocado por um técnico português de 65 anos saído de um time das Arábias, com um bom histórico no Benfica. O Mister Jesus.

E o Mister Jesus pôs em prática o time mais forte e competitivo que vimos desde há muito anos. Claro que com o reforço de ótimas contratações atuais e algumas do passado recente. 

O Flamengo encanta, deslumbra e faz querer ver seu jogo por puro apreço ao futebol. 

Há um pertencimento de qualquer torcedor ao bom "Jogo jogado" de qualquer time afinado. E o Flamengo hoje é este time. Seus torcedores se animam, esquecem os milhares de problemas atuais e fazem do Flamengo um excelente ponto de fuga para um sentimento sublime que é difícil de encontrar na "vida real". Torcedores de times adversários que não acumulam raiva e recalque têm a chance de se verem envolvidos nesta enorme paixão e se deixarem levar pelo mais puro sentimento de amor ao futebol.

A torcida levando os jogadores, literalmente, ao aeroporto é uma cena já marcada na história.

O Flamengo sou eu. Você. Todos nós.

Vamos ser campeões vamos Flamengo.

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Flamengo











Irmãos rubro-negros,




Todo Amor ao Mengo.



...



Abraços e Saudações Rubro-Negras.

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.


terça-feira, 19 de novembro de 2019

Estamos Preparados

Olá Buteco, bom dia!

Chegamos na semana da Decisão. Todo o trabalho realizado até aqui terá sua culminância do próximo sábado. São 25 jogos de invencibilidade, título do Brasileirão no bolso e apresentações espetaculares, comparáveis às dos melhores Flamengos da história.

O time-base está na ponta da língua da língua de todos os amantes do futebol bem jogado: Diego Alves, Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Arão, Gerson, Éverton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. Uma máquina de gols e vitórias, capitaneada pelo excelente Mister Jorge Jesus.

Nessa expectativa para o jogão, trago hoje alguns números dessa memorável campanha: tirando o campeonato carioca, são 50 jogos na temporada, com apenas 6 derrotas e uma incrível média de 2 gols por partida! Senhores, estamos falando apenas de jogos contra times da primeira divisão nacional, além dos adversários estrangeiros na Libertadores. É esculacho! 


Destaco nessa reta final da temporada, além dos óbvios protagonistas, a evolução de reservas como Vitinho (5 gols, 3 assistências) e Reinier (4 gols, 2 assistências). Esse é um ponto emblemático e que ajuda a entender como vencemos, com apenas 3 titulares, o bom time do Grêmio, na casa deles. 

Após a classificação para a final da Libertadores, dizíamos que as partidas do campeonato brasileiro seriam excelentes jogos preparatórios. Foram perfeitos! Fomos testados em vários aspectos que certamente estarão presente na final e nos comportamos bem. O melhor de tudo é ver que ainda não chegamos ao nosso limite. Falta ainda uma última apresentação de gala, para encerrar o show. 

Será Sábado! Estamos preparados para vencer.

Saudações RubroNegras!

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Rumo à Eternidade

Salve, Buteco! Primeiramente, perdoem-me as linhas mal-traçadas e as ideias desconexas, pois escrevo sob forte emoção. É que chegou o momento tão esperado. O Mais Querido do Brasil inicia a semana que poderá culminar, ao seu final, como sendo a mais importante em 38 anos, com a conquista dos títulos brasileiro e da Libertadores de 2019. O trabalho idealizado em 2012 e que começou a ser executado em 2013 no Flamengo efetivamente levava alguns a falar no tal "Ano Mágico", porém confesso a vocês que esse papo nunca me convenceu, por não imaginar que fosse possível ao Flamengo, ou a qualquer clube brasileiro, conquistar títulos tão grandes como o Campeonato Brasileiro e a Libertadores na mesma temporada. Tal façanha pressupõe uma superioridade tão acachapante que só mesmo por estar efetivamente vivendo esse marco histórico ser alcançado é que tenho certeza de não estar delirando.

2019 ainda terá que ser muito estudado. Afinal de contas, se é verdade que avanços como a reestruturação administrativo-financeira e a construção do Centro de Treinamentos de primeiro mundo foram meticulosamente planejadas, não creio que se possa dizer o mesmo em relação à escolha do treinador e mesmo de algumas peças do elenco, o que resultou de fortes e tensas disputas internas e da ousadia de alguns dirigentes. Sem dúvida, houve salto sem precedentes em nível de gestão de futebol no Flamengo, porém a magia parece ter surgido de uma composição heterodoxa de talentos e personalidades, dentro e fora de campo, além de uma pitada do acaso, que parece marcar todos os anos vencedores do Mais Querido nas últimas décadas.

Mas essas reflexões devem ser postergadas para o futuro, eis que o momento é de curtir os últimos momentos da longa escalada aos píncaros da glória. Para chegar até aqui, a Nação Rubro-Negra sofreu muitas provações, assacadas por adversários, entidades que organizam os torneios e até pela imprensa anti-Flamengo. Porém, todos falharam e parecem ter consciência de que não têm mais como evitar o que tanto temiam: a consumação do Ano Mágico do Clube de Regatas do Flamengo.

Nós, torcedores, merecemos esse momento. Não permitam que ninguém o estrague. Esqueçam os detratores, os invejosos, os infelizes habitantes dos becos escuros do atraso. Contem os dias, as horas, os minutos e os segundos. No próximo final de semana, vistam o Manto Sagrado e celebrem o momento mais vitorioso do Clube de Regatas do Flamengo em 38 anos.

Vamos caminhar com o time e o clube rumo à Eternidade.

Bom dia e SRN a tod@s.

domingo, 17 de novembro de 2019

Grêmio x Flamengo


Campeonato Brasileiro/2019 - Série A - 33ª Rodada

Quarta-feira, 17 de Novembro de 2019, as 16:00h (USA ET 15:00h), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre/RS.

Grêmio: Paulo Victor; Leonardo Moura, Pedro Geromel, David Braz e Cortez; Michel, Maicon e Alisson; Luciano, Tardelli e Everton. Técnico: Renato Portaluppi.

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Matheus Thuler, Rhodolfo e Renê; Piris da Motta, Diego e De Arrascaeta; Lucas Silva, Gabigol e Reinier. Técnico: Jorge Jesus.



Arbitragem: Raphael Claus (FIFA/SP), auxiliado pelos Assistentes 1 e 2 Danilo Ricardo Simões Manis (FIFA/SP) e Anderson José de Moraes Coelho (FIFA/SP)Quarto Árbitro: Daniel Aloysius Soder (RS). Árbitro de Vídeo (VAR): José Cláudio Rocha Filho (SP). Assistentes VAR 1 e 2: Lucas Canetto Bellote (SP) e Evandro de Melo Lima (SP). Observador de VAR: Raimundo Nonato Lopo de Abreu (DF).

Transmissão: Rede Globo (aberta, para todo o Brasil, exceto BA, SP e PE)PremierePremiere Play e PFCI (sistema pay-per-view, aplicativo e internacional).

Pendurados: Diego, Matheus Thuler e Renê.

Suspensos: Bruno Henrique, Gérson e Willian Arão.


sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Feliz Aniversário, Flamengo!




Sempre estarei contigo

Bom dia e SRN a tod@s.






quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Flamengo 4 x 4 Vasco - O empate arriscado

Um jogo que foi uma decisão pro Vasco e o Flamengo foi Bahamas. Depois de um primeiro gol relâmpago do Everton Ribeiro seguida da única jogada relevante de Reinier em sua partida. Mas belíssima, por sinal, o Flamengo descansou. Cansado talvez. Pensando na final da Liberta, may be. O fato é que a defesa sumiu do jogo, Arão voltou ao tempo do "Tá mal Arão" e o Gerson parecia o jogador indolente que os tricolores apontavam que era. Vasco encarava a partida como a decisão da vida. Aliás todos os times fazem isto contra o Flamengo. Não sei se é uma mistura de recalque com mala verde turbinada. O fato é que o Flamengo lida com uma decisão a cada jogo. Enquanto o Palmeiras passarinho. Os times são indolentes contra o verdinho da CBF Paulista mas selvagens contra o Flamengo. 

Mas Vasco marcou em cima e saía com velocidade. Jogadores corriam sem parar, e o Flamengo achando que o jogo estava controlado. Resultado? Vasco faz 2 a 1. No primeiro gol fazem falta explícita no Rafinha lá frente. Uma porrada interpretativa no calcanhar. Ele cai. Rodrigo Caio por algum motivo obscuro tinha saído da defesa para o ataque tal como um volante e por lá ficou. Resultado? Vasco atacou com velocidade, encontrou um espaço de campo infinito e chegou ao gol fácil. Segundo gol, bela jogada do Pikachu em cima dos zagueiros, Rodrigo Caio perde o tempo da bola e faz falta. Pênalti desta vez muito bem batido pelo próprio Pikachu. 

Então o Flamengo tem um último lance no primeiro tempo. Uma falta bem ensaiada. Bola pro Rafinha, seu chute resvala no zagueiro do Vasco e gol. Empate até imerecido naquele momento, mas futebol não quer saber.

Esperávamos todos esporro do Jesus no vestiário. E o Flamengo voltou ao segundo tempo com Arrascaeta. Jogando muito. Parecia não ter perdido o ritmo. Mas logo gol do Vasco. Flamengo então acorda. Bruno Henrique, depois de um primeiro tempo muito apagado,  faz seu gol. Empata o jogo. Bruno Henrique após linda jogada do Vitinho faz o quarto. Enquanto isto Gabigol perdia um gol atrás do outro. Flamengo 4 x 3. Jogo nos acréscimos. Defesa então falha fragorosamente. Dos laterais ao goleiro. Deixam cruzar, goleiro sal mal do gol, deixam cabecear. Gol do empate do Vasco. Nada mais a se fazer.

Flamengo empata um jogo que deveria ganhar para ter mais tranquilidade. Terá 3 pedreiras pela frente. O próprio VARmeiras, Grêmio lá e Santos lá. Não dá para descansar em paz. O preço pela falta de foco e concentração neste jogo espero que seja compensado com mais foco ainda no porvir.