quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Tua Glória é Lutar











Irmãos rubro-negros,






Flamengo continua sua caminhada na Taça Libertadores da América nesta quarta-feira.

O Maracanã estará  completamente lotado de rubro-negros.

Nosso time é qualificado, tem um técnico desponta e conta com uma estrutura excelente.

Nossa camisa joga sozinha, temos a raça como princípio moral dentro de campo e a Nação Rubro-Negra é a maior e melhor torcida do mundo.

Mesmo com tudo isso a nosso favor, no esporte ninguém ganha de véspera. Há que se fazer por merecer as vitórias e glórias.

O adversário se caracteriza por um jogo físico e de intensidade. 

Como sempre digo, só bola não é suficiente para vencer, pois no futebol elementos como raça, atenção e sorte também são determinantes.

Nosso time, nosso treinador e nossa torcida precisam entender isso. Raça, vontade e vibração o tempo inteiro.

Serão os primeiros noventa minutos da decisão pela vaga na semifinal da Taça Libertadores da América.

Sem desespero, com paciência, porém ritmo muito forte e categoria, o Flamengo tem tudo para fazer um grande jogo e obter uma grande vitória.

Oro de coração e fé a São Judas Tadeu. Que ele interceda por nós e nos ajude a superar este grande desafio.

E à torcida do Flamengo, só peço isto: fé, energia e muito barulho. 

Te amo, Mengo.




...




Abraços e Saudações Rubro-Negras.

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.


terça-feira, 20 de agosto de 2019

Evoluindo


SRN, Buteco.

Desde meados de 2015, quando o Flamengo começou a se firmar no mercado, acompanhamos a evolução do clube.

Financeira, patrimonial, esportiva, há evolução em todos os setores do clube.Alguns setores mais rapadamente, outros a passos de tartaruga, porém sem cessar.

Acompanhamos diariamente a recuperação econômica do clube, onde vivemos anos de reforços duvidosos e ajustes financeiros, e hoje damos risada a cada idiota , profissional ou não, que segue perguntando “ De onde vem o dinheiro do Flamengo?”

O trabalho silencioso da base, que passou de revelar jogadores inúteis parra produzir, em serie, Vinicius Jr , Paquetá, Reinier, Lazaro...

O (ainda) inacabado CT, cuja funcionalidade e modernidade é atestada pelo treinador Jorge Jesus e pelos reforços vindos da Europa, em declarações que atestam a equiparação do nosso CT ao padrão europeu.

A inacreditável janela de reforços do clube, onde absolutamente TODOS os jogadores que vieram corresponderam a expectativa gerada na contratação.

Ah, mas nada disso adianta se não ganhar dentro de campo. Admito, isso incomoda, e já passou da hora de ganhar algo  importante.

Mas acredito que a hora se aproxima, está cada dia mais próximo, mais maduro, mais palpável.

Tomemos como exemplo o jogo contra o Vice.

Diego Alves acaba de defender um pênalti.O jogo estava 2x0, controlado, tranquilo.No lance subsequente,toma o gol de escanteio.

Qual seria a reação do time em anos anteriores? Provavelmente se descontrolaria e imediatamente passaria a jogar pelo resultado, e terminaria por tomar o empate ou com esse placar apertado. No sábado, diante de tal situação, o time continuou jogando normalmente, seguro de si, sabedor que é (muito) superior, e fez mais um gol naturalmente.

Aliás, a quanto tempo o Flamengo, mesmo superior, não impõe de forma tão claro sua superioridade em números no placar?

Então são esses sinais, esses fatores que me fazem acreditar que a hora está por chegar.Títulos virão.


E vai começar amanhã








segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Dilemas e Desafios Rubro-Negros

Salve, Buteco! O Mais Querido adentra a segunda quinzena de agosto "vivíssimo" nas duas competições mais importantes do calendário: Campeonato Brasileiro e Copa Libertadores da América. A classificação para as quartas de final da Libertadores não é novidade, mas a segunda posição no Brasileiro, encostada no líder Santos, sim. A surpresa, ao menos para mim, não veio por conta do empate entre o time reserva do Grêmio e o misto então vice-líder e hoje terceiro colocado Palmeiras, mas pela derrota santista, seja pelo bom futebol e desempenho da equipe comandada por Jorge Sampaoli, seja pelo retrospecto recente do Cruzeiro. Renovadas as energias cruzeirenses com a contratação de Rogério Ceni, bastaram poucos minutos de bola rolando para uma precipitação do (bom) zagueiro santista Gustavo Henrique, cuja contratação vários torcedores rubro-negros desejam, mudar a história do campeonato.

Em razão disso, depois da contundente e vibrante goleada de sábado sobre o Vasco da Gama, o torcedor rubro-negro terminou o final de semana com ainda mais motivos para sorrir. O próximo passo é saber como amanhecer a próxima segunda-feira com vantagem para o jogo de volta da Libertadores e, quando menos, sem ver a distância para o Santos aumentar. Garfado de maneira vergonhosa ontem no Morumbi pela arbitragem, o bom time do Ceará, disputando apenas o Campeonato Brasileiro, oferecerá inúmeras dificuldades para o Mais Querido, que chegará a Fortaleza desgastado pela viagem e um extenuante confronto no Maracanã contra o Internacional pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores.

Para piorar, a CBF, essa entidade dirigida por gente desprovida de um mínimo de escrúpulos, marcou o jogo do Flamengo para as 19:00h de domingo, obrigando a delegação rubro-negra a embarcar em uma insana conexão entre Fortaleza e Porto Alegre, diminuindo sensivelmente o tempo para recuperação dos atletas até o confronto de volta contra o Internacional na quarta-feira, dia 28 de agosto. A CBF é a principal fonte da deformação moral que há tempos tomou conta do futebol nacional.

Não acredito em priorização de competições, dada a atual classificação do Campeonato Brasileiro; porém, por uma questão fisiológica, não haverá como escalar o time titular com os mesmos jogadores nos três confrontos, o que torna a rodagem do elenco no jogo de Fortaleza, além de imperiosa, um verdadeiro desafio. Apenas a título de exemplo, no sábado Rodinei tomou o terceiro cartão amarelo, o que provavelmente obrigará Jorge Jesus a promover a estreia do jovem João Lucas na lateral direita, pois escalar Rafinha nos três jogos não parece ser boa ideia.

Que a derrota na Fonte Nova sirva de lição.

***

A modesta colocação do Internacional no Campeonato Brasileiro não deve iludir ninguém, pois a virtual classificação para a final da Copa do Brasil e a própria disputa das quartas de final da Libertadores tratam de contextualizar a campanha gaúcha. Nós, torcedores do Flamengo, sabemos bem o que três competições podem custar a um elenco sem a devida rodagem. Além disso, em novembro o jovem e competente Odair Hellmann provavelmente completará dois anos à frente do Internacional, sem dúvida uma vantagem em relação ao Mais Querido, que, para corrigir o erro na escolha de um treinador de estilo oposto ao do elenco para iniciar o ano, teve que abastecer em pleno voo ou trocar a roda com o veículo em movimento, como queiram.

O sólido sistema defensivo colorado conta com um miolo de zaga forte e seguro, além de um meio campo de forte marcação, mas também de boa qualidade técnica, casos especialmente de Patrick e Edenilson, este contundido e dúvida para quarta-feira. Rodrigo Lindoso, ex-Botafogo, em boa fase, tem feito a torcida não sentir saudades do bom volante Rodrigo Dourado. Já o ataque o Colorado conta com o ótimo atacante uruguaio Nico López e com o nosso conhecido Guerrero, que enfrentaremos pela segunda vez após sua polêmica saída do Flamengo, além da experiência de Rafael Sóbis, que Odair reveza com o experiente e talentoso meio-campista argentino D'Alessandro, a depender do contexto.

Pode não ser um elenco "longo" como os de Flamengo e Palmeiras, porém é mais do que suficiente para montar um time titular que joga de igual para igual contra os melhores o continente na atualidade. O Internacional, Senhoras e Senhores, será o adversário mais forte do Flamengo de Jorge Jesus, contando os todos os seus, até aqui, dez jogos disputados.

Vale lembrar que, na Libertadores, ao contrário da Copa do Brasil, o gol marcado fora de casa é critério de desempate. Portanto, vencer no Maracanã sem tomar gol é muito importante.

***

Os jogos contra Grêmio e Vasco da Gama me animaram porque mostraram que Jorge Jesus, além de testar variações no desenho tático da equipe, também está preocupado em dosar o ritmo, o que não o impediu o time de vencer ambos os jogos com autoridade. Porém, não é exatamente simples detectar quando isso acontece, pois não é só o posicionamento da primeira linha ou mesmo a intensidade da "marcação alta" que define a estratégia. Sábado, por exemplo, o posicionamento tático do Vasco da Gama, que entrou em campo para se defender com onze jogadores em duas linhas postadas até a sua intermediária defensiva, definiu a faixa de campo ocupada pelo Flamengo e, obviamente, dificultou muito nossas ações ofensivas.

A impressão que tive é que Everton Ribeiro, como, aliás, repetidamente frisa Jorge Jesus, ainda não está completamente recuperado da contusão, daí não vir sendo escalado para iniciar as partidas. O principal efeito desse quadro é Cuéllar e Willian Arão atuarem juntos e muitas vezes alternarem-se nas subidas para apoiar o ataque, pela faixa central, enquanto Gérson, em tese mais apto para a função de meia central, ocupa a faixa direita, onde, diga-se de passagem, vem se saindo muito bem. Porém, e apesar do belíssimo passe de Gustavo Cuéllar para o segundo gol, sinto que a armação pelo meio sofre em qualidade, pelas características mais defensivas dos nossos dois "volantes", e provavelmente por isso muitas vezes Filipe Luís tenha ocupado aquele espaço, talvez ensaiando até uma mudança definitiva de posição no futuro. Não tenham dúvidas de que categoria não lhe falta para tanto.

Aliás, sobre o nosso novo lateral esquerdo, em que pese alguns sustos na marcação "1x1" no primeiro tempo, esbanjou talento e qualidade no apoio, como pude constatar in loco. A subida de qualidade técnica do sistema defensivo com sua entrada, assim como as de Pablo Marí e Rafinha, é indiscutível. Contudo, o curto tempo de trabalho é a principal dificuldade do esfuziante Flamengo de Jorge Jesus, que lida com os diferentes estágios de preparação dos reforços que chegaram durante a segunda janela de transferências internacionais. Nosso treinador português, sem dúvida muito acima da média nacional, parece ter se preocupado primeiramente em fixar pontos mais marcantes de sua filosofia de jogo, deixando para trás os tempos do "arame-liso", e, num segundo momento, modular o ritmo da equipe.

Apesar dos sustos pela defesa (sábado ocorreram inclusive no jogo aéreo adversário), e descontada a ansiedade natural que antecede os jogos mais importantes, sinto-me muito mais tranquilo do que em anos anteriores, pelo altíssimo padrão de qualidade individual dos atletas e do próprio trabalho tático do treinador. 

Quarta-feira será dia de manter o excepcional aproveitamento do time no Maracanã e colocar um pé na semifinal, para, na sequência, a partir de domingo, melhorar o desempenho como visitante.

***

A palavra está com vocês.

Bom dia e SRN a tod@s.




sábado, 17 de agosto de 2019

Vasco da Gama x Flamengo


Campeonato Brasileiro/2019 - Série A - 15ª Rodada

Domingo, 16 de Agosto de 2019, as 19:00h (USA ET 18:00h), no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília/DF.

Vasco da Gama: Fernando Miguel; Cáceres, Henríquez, Leandro Castán e Henrique; Richard, Raul e Lucas Mineiro; Yago Pikachu, Tiago Reis e Thalles Magno. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

FLAMENGO: Diego Alves; Rodinei, Matheus Thuler, Pablo Marí e Filipe Luís; Cuéllar; Gérson, Willian Arão e DArrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. Técnico: Jorge Jesus.

Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden (RS), auxiliado pelos Assistentes 1 e 2 Kleber Lúcio Gil (FIFA/SC) e Jorge Eduardo Bernardi (RS). Quarto Árbitro: Maguielson Lima Barbosa (DF). Árbitro de Vídeo (VAR): José Cláudio Rocha Filho (SP). Assistentes VAR 1 e 2: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB) e Lúcio Bierdorsf Flor (RS). Observador de VAR: Giulliano Bozzano (MG).

Transmissão: PremierePremiere Play e PFCI (sistema pay-per-view, aplicativo e internacional).

Pendurados: Bruno Henrique, Cuéllar e Rodinei.




quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Cuellar e gestão de carreira

Observando o "caso Cuellar", em que um jogador muito importante, identificado com a torcida,  mal-remunerado em relação aos seus pares,  de uma posição relevante e sem muitos substitutos no mercado estar querendo muito sair do Flamengo e  em vias de conseguir,  é necessário dizer que houve e há falhas de todos os lados. Tantas relativas ao atleta como do próprio clube, da gestão atual como anterior. 

Como pode o Flamengo, que está se posicionando como uma potência de fato no futebol brasileiro, através do poder econômico conseguido nos anos de labuta e rigor administrativo desde 2013, ter um jogador como Cuellar preferindo ir se esconder em um clube árabe para ganhar o que já poderia estar ganhando aqui? Como deixaram crescer esta onda de desejo de mudança do Cuellar a ponto de já estourar na praia?

O problema começou com a renovação do Cuellar em 2018, além de, claro, um desejo perene do jogador em fazer sua carreira na Europa. O que acredito que seja o sonho de 10 entre 10 meninos que iniciam carreira no futebol, seja que país sul-americano, africano ou asiático seja. Lá é Olimpo do futebol mundial. Embora, claro, mesmo o Olimpo tem lá suas múltiplas divisões internas e mercados menos ou mais relevantes.

Cuellar renovou em 2018 muito mal. Sua remuneração foi inferior a jogadores menos cotados e bem mais contestados do elenco. Quando se deu conta do ocorrido (não leu o contrato antes?) ficou tão amargurado que demitiu seu procurador. O Flamengo lavou as mãos. O que para mim foi um erro. É necessário que um clube como o Flamengo leve em consideração o peso do jogador em cada renovação e não queira "se dar bem" fazendo um bom negócio com um contrato de valor inferior ao que merece considerando o resto do elenco. É preciso que o Flamengo tenha em seu Departamento de Futebol um "Plano de Gestão e Carreira", para evitar profunda insatisfações futuras. Evidente que não prego aqui que um clube vá aumentando o salário de todos, e sim que haja um entendimento do que é "o justo", considerando a relevância do jogador e o quanto é remunerado o resto dos jogadores.

Se um jogador renova mal, como é o caso do Cuellar, cria um problema que vira uma bola de neve. O jogador, ainda que seja responsável por seus atos, no caso a assinatura do contrato, se sente mal consigo mesmo e ainda pode tecer teorias de conspiração diversas, envolvendo seu procurador e o clube. Fica uma situação insustentável.

A gestão atual, assumindo em 2019, teve consciência do problema. E assim como a anterior lavou as mãos. "Você propôs o contrato e assinou. Que culpa temos nozes?".  Mas era o momento de considerar o erro e oferecer o aumento merecido tal a relevância do Cuellar quando assumiram. Claro que analisando a postura do clube ela é correta aos olhos frios da lei. Jogador assinou o contrato então que o cumpra. Mas o futebol é um mundo à parte. Considere, por exemplo, a disparidade de salários entre jogadores da mesma função, o que o TRT condena em relação a qualquer outra atividade empresarial.  

Com a chegada do Jesus e sua preferência nítida por Arão, Cuellar se viu mais propenso a sair. O desprezo do Flamengo por suas solicitações de aumento ("Quando tiver alguma proposta nos sentamos e podemos negociar seu aumento") entornaram o caldo. Agora sua alma já está fora daqui e conta os dias para ir sumir na Arábia. Até outro clube brasileiro contratá-lo, talvez.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

O melhor para o Flamengo











Irmãos rubro-negros,







Nosso vice-presidente de futebol, Marcos Braz, está na Itália negociando a vinda de Mario Balotelli.

Eu gostaria de perguntar aos amigos: você é favorável à contratação do jogador italiano? Por quê? Caso não seja a favor, qual atleta contrataria?

Na minha opinião, é uma contratação de alto risco. Embora tenha talento, o Balotelli tem problemas extracampo que afetam seu rendimento dentro dele. 

Por outro lado, com o clube organizado e muito bem administrado, certos problemas comportamentais são minorados.

Trazendo ou não, acho que o Balotelli é jogador de tiro curto. Se vier, é para render imediatamente. Não dá para contar com ele num planejamento de médio ou longo prazo. A carreira dele sugere isso, essa ideia de efemeridade. Mas o Flamengo é mágico e místico. Quem sabe?

Uma coisa, porém, é inegável: ele tem talento e, se jogar sério, se sobressai não só no Brasil, mas também no cenário Sul-Americano. 

Questão é a seguinte: ele está em forma? Ele está a fim de vir para o Flamengo jogar futebol ou passear?

Mais que internacionalização da marca, mais do que causar sensação no mercado, mais do que inspirar temor nos adversários, o Flamengo precisa focar naquilo que é mais importante no momento: títulos. 

Se ele nos ajudar a conquistá-los, terá valido todo o esforço empreendido em sua contratação; se vier pensando em bagunça, sem entendimento ou comprometimento com os anseios da instituição e da torcida do Flamengo, será um fiasco.

Isso tem de ser pontuado com ele na mesa de contratação.

Aguardemos o que o futuro nos reserva, torcendo para que o desfecho seja o melhor para o Clube de Regatas do Flamengo.





...





Abraços e Saudações Rubro-Negras.

Uma vez Flamengo, sempre Flamengo.


terça-feira, 13 de agosto de 2019

Brasileiro, Libertadores, Alves e Balotelli.


Bom dia, Buteco!

Passadas já duas semanas, ainda trago comigo a vibração do jogo contra o Emelec. Maracanã explodiu! Uma sensação de confiança inigualável, era impossível sairmos dali sem a classificação. Surpresa não existiria, a delícia era descobrir de que forma os gols viriam... Um dia que vai ficar marcado para sempre na minha memória e no meu coração. Um dia de puro Flamengo!

Jogo contra o Bahia é daqueles para se apagar. Era impossível sair de uma batalha na quarta-feira, com o time extenuado daquele jeito e viajar para pegar o bom time baiano, quatro dias depois. Naturalmente, estamos formando elenco para poder encarar esse tipo de situação. No entanto, há de se reconsiderar também o imponderável que, nesse caso, foram as diversas lesões que atingiram o elenco. Apaga e segue em frente.

Felizmente, os outros times também têm os problemas deles e pegamos um Grêmio cheio de reservas na última rodada. Excelente para uma vitória importante e que não trouxe tanto desgaste, embora o pênalti cometido pelo bom zagueiro espanhol Pablo Marí tenha sido de uma ingenuidade que não cabe no futebol profissional. Enfim, chegamos a 27 pontos na tabela, cinco atrás do líder. Não está bom, mas poderia estar pior. 

O checkpoint para o título seria 33 pontos na 15ª rodada. Ganhando do Vasco, chegaremos a 30. É o que tem para hoje, aceito de bom grado. Os desafios virão fortes no próximo bloco: pegaremos o Ceará lá entre os jogos da Libertadores e o Palmeiras (jogo-chave do campeonato brasileiro) no Maracanã logo após a partida de volta. Pela Libertadores, eles jogam em casa na terça, nós jogaremos fora, na quarta. Além disso, eles conseguiram adiar o jogo entre as partidas da Libertadores, estarão bem mais inteiros. A programação para esse jogo do Palmeiras terá que ser muito bem executada, jogo de altíssimo risco para a sequência no Brasileirão.

Concentração máxima nesses 5 jogos: Vasco, Inter, Ceará, Inter e Palmeiras. Felizmente, os jogadores estão voltando do departamento médico e a tendência é tê-los todos (menos o Diego) prontos para essas próximas decisões.

Vamos, Flamengo!!!

***

Para ganhar Libertadores, a primeira coisa a ser listada é ter um goleiro em excelente fase. Podem lembrar os últimos campeões e você sempre verá um goleiro fazendo milagres e pegando pênaltis decisivos. 

Diego Alves  não está mal. Ele está muito mal! Todas as bolas que vão no gol, quando não entram, são rebatidas para frente. Se nós todos já notamos, é claro que a comissão técnica também. Duvido que JJ já não tenha dado uma boa chamada no goleiro, que precisa fazer sua autocrítica. 

Quando fomos para os pênaltis contra o Emelec, falei para mim mesmo que "agora é a hora do Alves mostrar a que veio" e ele realmente mostrou. Não sei se a melhor coisa seria colocar o César, talvez até seja, mas vou com a comissão técnica: se eles acham que o Alves é o nosso goleiro titular, estamos juntos. 

Contra o Inter, mais que contra o Emelec, vamos precisar de goleiro. Que Diego Alves volte a se destacar. 

***

Balotelli? Traz o cara e vai pra cima deles, Mengo!!!