segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O Sonho Existe, ta logo ali.


A adrenalina deu uma aliviada agora e to podendo parar pra pensar.
A algumas rodadas o Flamengo estava a 12 pontos do ate entao lider Palmeiras, 12 pontos, era realisticamente falando apenas um sonho muito distante, uma utopia completa.
Existe uma diferenca enorme entre voce querer, desejar que fosse possivel estarmos aonde estamos hoje e CRER no que aconteceu.
Quando estive no Rio em Agosto, o Flamengo vinha numa pindaiba de dar desespero, cheguei a comentar com o Arthur Muhlenberg la na Gavea se ele ja tinha imaginado na possibilidade do Flamengo ser rebaixado, porque simplesmente nao tinhamos horizontes de qualquer melhora.
Poderiamos enumerar varias razoes para que o time tivesse dado essa guinada de 180 graus, as contratacoes do Maldonado e do Alvaro, o poder de decisao do Adriano, mesmo sabendo que quando o contratamos, o pacote viria completo ou seja, faltas aos treinos, regalias e muito confusao em torno do seu nome e a efetivacao do Andrade como treinador.

Enfim, chegamos aonde ninguem esperava, eu sinceramente, humildemente reconheco, nao acreditei no time e tinha motivos para tal.

Chegamos a ultima rodada com 78% de chances de sermos depois de 17 longos anos Campeao Brasileiro.

Estao nas maos dos dirigentes colocarem uma tranca, selar, bloquear toda e qualquer manifestacao de euforia insana. Nao permitam que artistas seja de qualquer area se aproximem dos jogadores, programas de televisao, festividades, enfim, tenham o bom senso e a responsabilidade que o momento exige.

Nossa redencao vai chegar, mas pra isso acontecer e preciso guardar o ultimo suspiro com foco, seriedade, profissionalismo e alma.

SRN a todos!

domingo, 29 de novembro de 2009

MUITO PRAZER, MEU NOME E FLAMENGO!




SENHORES DIRETORES, PELO AMOR DE DEUS, TIREM O FLAMENGO DO RIO DE JANEIRO NA SEMANA QUE VAI ENTRAR.

Protejam o time e o clube de toda manifestacao contraria que nao seja o foco final.
E um pedido de 35 milhoes de coracoes carentes, de jovens que nao viram o Flamengo ainda ser Campeao Brasileiro.
Pedimos muito pouco para tao gigantesco ato.

CORINTHIANS X FLAMENGO


FICHA TÉCNICA:
Estádio: Brinco de Ouro, Campinas (SP)
Data/hora: 29/11/2009 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Altemir Hausmann (Fifa-RS)
CORINTHIANS: Felipe, Marcelinho (Boquita), Chicão, Paulo André e Escudero (M. Oliveira); Jucilei, Edu e Elias; Defederico, Jorge Henrique e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes.
FLAMENGO: Goleiro, Lateral Dir, Álvaro, Ronaldo Angelim e Lateral Esq; Aírton, Toró, Willians e Petkovic; Zé Roberto e Gil (Denis Marques).

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

MAIS "PANOS QUENTES"






A LÂMPADA DO PINOQUIO




Recentemente escrevi uma coluna cujo título era “Panos quentes”! Nada melhor para retratar o Flamengo atual. Pensei que não fosse voltar mais no assunto, mas a coisa se repete!!! Reta final, time com totais condições de chegar ao caneco e aí... Começa a via crucis da Torcida!
Um dos melhores jogadores do time, Pet resolveu abrir a agenda social e partiu para a esbórnia: Programa do Jô, pés da calçada da fama, entrevistas em programas paulistas, participação na Bahia em um documentário sobre sua vida... E o Flamengo, Ó!!!

Contra o Goiás errou tudo o que tentou porque, aos 37 anos e na reta final da competição é necessário um pouco mais de cuidado com a forma física. O erro de passe demonstra claramente a falta de condições. As pernas parecem pesadas, aquilo que todo “peladeiro” conhece depois de uma farta feijoada!
Deixamos passar a chance contra o Goiás... Houve quem culpasse a Torcida, o mosaico, a pressão por causa da vitória do bostinha, a grama do Maracanã, o parapente com a bandeira do Flamengo que pousou no gramado, aquele monte de desculpas para encobrir a falta de vontade de atropelar o Goiás!
Tudo bem, agora é olhar para frente, compromisso difícil contra os gambás, em Campinas, atenção total, quem sabe o Goiás repete o resultado contra os bambis? Afinal, Deus existe para interferir nessas horas, todos sabem que é Rubro-Ngero e com S. Judas Thadeu de sobreaviso para entrar no segundo tempo!...
E cai a bomba sobre a cabeça da Torcida: Adriano não joga, queimou o pé “numa lâmpada em seu jardim”, inflamação e veto! Na verdade o que correu pela cidade é que o Imperador, andando na garupa de uma moto (quem sabe um vascaíno???) , queimou o pé no cano de descarga, pasme! Um atleta profissional, salários altíssimos, artilheiro do campeonato, peça fundamental na busca do título, tão esperado pela sofrida Torcida!!!
O Departamento Médico confirmou “a lâmpada”, vem tratando da inflamação, mas declarou que o atleta não tem as condições mínimas para entrar em campo!!!
Dei uma olhadinha nas possibilidades e me deparei com Denis Marques, boi Mezenga (Boa, Rocco!!!) e ... Gil!!! Carácolis! Vida bandida! Juntei os três e não deu meio!!! E “tudo isso” para jogar ao lado do ZERO Berto!!!... Será que eu mereço? Acho que vou ter um troço!...
Domingo é dia de sofrimento! O tal do travecão vem babando na gravata, o goleirinho deles já declarou que o jogo é uma questão pessoal, o treinador adversário falou em apoio explícito aos bambis...
Mas aí lembrei que é nessas horas que o Mengão se agiganta, atropela as possibilkidades negativas, faz das tripas, coração! É, porque vamos precisar muito de um grande coração Rubro-Negro para enfrentar tantas adversidades!
Meu placar: vitória por um pentelésimo a zero! Já basta! E torcer para aquele time safado do Goiás! Triste sina...

SURPRESA!!!

Saio do Maraca muito aborrecido (na verdade, puto da vida!), me despeço dos amigos, enfio a cara no chão, aperto o passo e... “Sidney Bastos!” Rua meio escura, olho para os lados, mas não vislumbro ninguém conhecido! Mas o insistente chamamento se repete “Sidney Bastos!” e de um pequeno grupo se destaca um Torcedor com o Manto Sagrado!

Volto, por uma questão de educação e o Torcedor abre os braços! Ninguém menos que o mineiro Thiago Neves, que saiu com um grupo de Belo Horizonte para ver a vitória do Flamengo e a tomada da ponta da tabela!

Serviu para aliviar o aborrecimento proporcionado por esse time chinfrim! Grande papo com quem, na verdade, não conhecia pessoalmente! Um grande prazer! Troca de telefones e papo marcado para o jogo contra o Grêmio que, esperamos, nos dará o título!

Fiquei feliz por ser reconhecido e mais feliz ainda por travar conhecimento com um Torcedor que saiu de tão longe para prestigiar o Flamengo! Essa Torcida é mesmo fantástica! Pena que o time não esteja à altura, infelizmente!...

COLUNA digitada – ainda! - na certeza da vitória! Que terá que vir de qualquer jeito, tirada a fórceps, na marra! Já ganhamos sem o Adriano e espero que o time saiba reconhecer o esforço da Torcida! Lembrando a velha canção do Rei do Rock Elvis Presley, “é agora ou nunca”!

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

O Penetra
A coisa é mais ou menos assim. Um biriteiro arranja um amigo, também biriteiro e o convida para tomar umas biritas, numa festa em sua casa. Depois o convida para uma segunda festa, depois para a terceira, a quarta....
Após algumas festas, o biriteiro anfitrião percebe que, o biriteiro convidado é muito mais biriteiro que ele, passa a não aceitar tal comportamento dentro de sua própria casa e nunca mais o convida para seus eventos biritológicos.
Na próxima festa, ele estará limado, cortado da lista e seu convidado de honra já será um outro biriteiro, que chegará com status de “melhor amigo”.

É assim que a banda toca. Enquanto é novidade, tudo bem, mas, vendo que o convidado come e bebe demais, começam a chamá-lo de guloso e mal educado e, essa visão da situação e tipo de comportamento, acontece com qualquer um de nós.

Nos anos 70, quando o Flamengo era um time sem expressão no cenário nacional, ninguém se incomodava em convidá-lo para as festas, pois, o Mengão sabia chegar, ficar e sair, sem comer ou beber muito, apenas o lhe serviam os garçons. Era o bom rapaz, educado, fino, não fedia nem cheirava. O máximo que fazia, era repetir um cálice de um torneio e um bolinho de campeonato estadual.

Então, vieram os anos 80 e o Mengão, mudou seu comportamento, passando a ser visto e considerado, pelo anfitrião e pelos convidados, como um glutão e biriteiro inveterado. Foi só ter provado um acepipe, chamado Campeonato Brasileiro, que o Mais Querido mudou seu comportamento. Chegava o garçom servindo e lá ia o Flamengo, com suas mãos sujas, de urubu carniceiro, a pegar o melhor que tivesse na bandeja, sem se preocupar com os demais convidados.

Era muito abuso daquele convidado, que, de o mais popular, grande amigo, inteligente e admirado por todos, passara a ser visto como atrevido e desprezível. Em 1987 Flamengo já estava repetindo o quatro prato, enquanto os outros, no máximo, não haviam passado do primeiro, ou segundo. Alguém tinha que tomar alguma providência e, como na música do Zeca Pagodinho, fazer com que aquele que já era considerado “penetra”, ralasse peito e caísse fora da festa.
Foi então que, o dono do salão teve a idéia de “tirar a comida da boca do Mengão” e passá-la, já mastigada, à boca de um outro convidado e este outro, atendia pelo nome de sport recife, assim, o Mengão só contaria três pratos repetidos e não ficaria tão distante assim dos demais.
O problema é que, a festa era de gala e o traje exigido era black-tie, mas, o escolhido era um pobre coitado, de tênis, jeans surrado e boné de camelô pro lado.
Mas, não havia quem mais se pudesse colocar naquela situação vexatória, humilhante e deprimente, de aceitar um resto de comida já mastigada e babada, mesmo tendo esta saída da boca ilustre de um legítimo Campeão e assim, lá foi o sport,....coitado,....com suas vestes de pobretão, a desfilar pelo salão nobre, submetendo-se calado às piadinhas e brincadeiras indecorosas, dos demais convidados vips.
No baile, na hora da dança principal, o mestre de cerimônia foi ao microfone e pediu a palavra.
“_Senhores e senhoras, ladies and gentlemans; Gostaria de lhes apresentar nosso convidado de honra. Peço uma salva de palmas para o senhor sport recife, que em virtude de estar tão mal vestido, de maneira desapropriada para a grandeza deste evento, dançará sozinho no salão, pois que, foi rejeitado pelo par.”

Os donos da festa haviam decidido que chegara à hora de não mais convidar o Flamengo a seus eventos sociais. Um novo biriteiro passaria a ser convidado, um novo “melhor amigo”, menos guloso e mais educado.
Começaram a mexer os pauzinhos, por trás dos panos, na surdina dos bastidores, ou melhor, da cozinha, mas, mesmo assim, na festa do ano de 1992, ainda fazendo-se valer de sua estúpida e deselegante maneira de se comportar, o Flamengo, já como penetra declarado, que já chegara a aquela festa bêbado, trôpego e vomitando, após os seguidos porres, nas festas nacionais de 1980, 82, 83, 87, além da festa internacional, de 1981, com seus grossos e mau educados modos, comeu os cajuzinhos, olhos de sogra, o bolo inteiro, todos os pasteizinhos, cachorros quentes e bebeu o que havia de chopp, sem deixar nada para ninguém, tornando-se o Primeiro Penta Campeão Brasileiro de Biritofutebol.

O tempo passou e o organizador da festa anual, começou a trocar de “melhor amigo”, sempre na esperança de que alguém roubasse o posto e o título de “Maior Comilão”, conquistado pelo Flamengo.
Todo ano, em cada ano, na data e horário, o Mengão chegava à portaria e não lhe deixavam entrar.
Do lado de fora, pela janela, o Mais Querido do Planeta via os candidatos dançando, confraternizando e se revezando no posto de “Melhor Amigo”, mas, um detalhe lhe chamava a atenção; O salão nunca mais esteve tão lotado, como nos tempos em que Ele, o Mengão Queridão, era o “Convidado Comilão”.

Certo dia, um convidado um tanto quanto, assim, meio transviado, com seus trejeitos e desmunhequices, seu comportamento, digno de corte francesa, seu perfume suave e doce, transformou-se no “queridinho” do dono da festa. Enfim, o anfitrião havia conseguido seu novo “melhor amigo”. E olha que, até escolhê-lo e consegui-lo, o anfitrião relutou entre vários convidados do mesmo estado do país.
Mas, como todo amigo biriteiro, um dia este também passa a ser visto como guloso, deseducado e olho grande, assim, depois de vê-lo repetir o prato seis vezes seguidas, o anfitrião já começa a perceber que está na hora de mudar de “melhor amigo”.
Sim,...este último, apesar de todos os privilégios que recebeu, durante os anos em que foi o “melhor amigo”, conseguiu pra si muito dinheiro, mas, não fez aumentar, de forma considerável, o número de seus seguidores, torcedores e também não trouxe ao dono do salão os lucros que este esperava.
Com sua visão e seu instinto voraz para o comércio, o dono do salão percebe que, terá lucros incalculáveis, caso consiga mandar, a cada ano, um casal de convidados vip, dançar no segundo salão de seu estabelecimento. Será dinheiro entrando na portaria do salão principal e pelo da segundona. Melhor ainda e mais lucros, ele terá, se ninguém vier ao baile e todos assistirem de suas casas os salões vazios.
Primeiro pensamento, primeira intenção; Mandar o convidado Mais Popular para o segundo salão. Mas, apesar de todas as tentativas, isso ele não conseguiu.
Segundo pensamento, segunda intenção; Evitar que o seu último “melhor amigo”, chegue ao sétimo prato e, pra isto, ele vai ao desespero, ao ponto de tentar fazer com que a imagem de convidados pobres e mal vestidos, como o sport de 1987, caísse na graça da opinião pública. Também não deu certo.
Tentou o mesmo com mais dois convidados, mas, estes muito mal cheirosos, um fedendo a gambá e outro fedendo a porco, por suas incompetências, não se mostraram à altura do posto e não conseguiram a vaga.
Tentaram com convidados de Minas, do Rio Grande do Sul e até de Goiás, mas, nada de um novo “melhor amigo”.

Nisso, quando o dono do salão olha pra portaria, lá está aquele convidado guloso, mal educado, com seus gestos grotescos e deselegantes, a tentar entrar na festa, mais uma vez com intenção de devorar o bolo, todos os salgadinhos e acabar com o chopp. É o Flamengo, já na roleta de entrada, com a barriga roncando de fome.
_Tirem esse cara daí!!...Não o deixem entrar, porque ele come tudo!!
Então, a partir daí, vendo que o Flamengo é um convidado insistente, sem escrúpulos, grosso, mau caráter, sem qualquer educação e bons modos, que está, mesmo, disposto a entrar e acabar com a festa, o anfitrião, vendo que nem seus seguranças são capazes de impedi-lo, passa a publicar, nos cartazes e convites que distribui mensagens com intenção de desestabilizá-lo, denegrindo a imagem do penetra.

Nos últimos dias, eu vejo e leio os noticiários publicados pelo anfitrião da festa e a maioria das matérias só fala em brigas internas de jogadores, em mulher grávida de suposto filho de jogador e declarações sendo deturpadas, ou propositalmente vistas por ângulos diferentes do que os jogadores tentaram mostrar. Tudo com jogadores do Flamengo, tudo com intenção de desestabilizar a paz do convidado.
Porra!!!!....Tudo por medo de que o Flamengo volte a ser o “Comilão” da festa.
Pelo love de God!!! Eu nem leio mais essas matérias!
Quando que um jogador iria declarar que “a torcida atrapalhou o time”?? Nunca !!!!
O que o Bruno, com certeza, deve ter tido a intenção de dizer, é que, eles, os jogadores, na intenção de retribuírem a presença da Nação Rubro-Negra, sentiram a pressão, ficaram nervosos, ansiosos, vendo que o tempo passava e a bola não entrava e acabaram não conseguindo a vitória.
Jesus, Maria José!!!!... Eles são tão humanos quanto todos nós, simples e mortais torcedores!! Jogaram com uma raça digna de quem veste o Manto Sagrado Rubro-Negro, mas, a porra da bola não quis entrar,....fazer o quê??!!
Eu vi um jogo do Flamengo de Zico & Cia, se não me engano, contra o Serrano, que valia um Tetra Campeonato Carioca e que o Mengão jogou 90 minutos, mais os descontos, na área deles, com bolas nas traves, com o goleiro pegando tudo e eles venceram por 1X0, com um gol de Pelica!! Quem explica???

Amigos do Buteco: Toda a Nação cobrava e queria, mas, não apostava um tostão numa campanha tão boa este ano. Somos o melhor clube do segundo turno e, demos vários passos importantíssimos, em termos de administração, para voltar-mos a ser o “Comilão da Festa”, por muitos e muitos anos, apesar do desespero do anfitrião e temos que enaltecer esses guerreiros que lá estão, trazendo de volta o Orgulho de Ser Flamenguista e a certeza de que seremos, sempre, candidatos a todo e qualquer título disputado!!!

Se houve, mesmo, a “mala branca”,....com “mala branca se paga! O meu medo é que, quem aceita grana pra correr mais, também aceita pra correr menos. Na festa de domingo que vem, poderemos julgar o caráter dos convidados jogadores do Goiás, porque do anfitrião, eu já tenho minha opinião formada.

Mesmo que não consigamos o Caneco, temos uma base tão sólida, de jogadores, comissão técnica, patrocinadores e planejamento, que me atrevo a dizer que “aposto no título de 2010”!!!

Eu sou humano e também erro. Se pego no pé de algum jogador, é porque não o considero apto a jogar no Maior Time do Mundo,....até que ele me prove ao contrário. Ou não.

O Flamengo de 2009, só me deu orgulho e me devolveu o ar da soberba Rubro-Negra. E isto eu agradeço!
_________________________________________________________
Aproveito o out-door de propagandas, do meu texto, para abraçar a companheira Luciana, por sua estréia no nosso espaço. O Buteco carecia, mesmo, de um toque feminino, pois, se depender do Rocco e do resto da turma, o estabelecimento vira bagunça!

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

AINDA NÃO ACABOU !



Com cinco minutos de jogo, o Sidney já dizia: “Eu achava que o Flamengo ia partir pra cima e não estou vendo isso”. E, com 15, eu já chamava sua atenção para o Adriano tendo que vir buscar jogo no meio, o que só aumentou nossa desconfiança de que as coisas não estavam indo muito bem.
Naquele momento, a idéia de que pudéssemos desperdiçar a chance que nos foi dada nem passava pela cabeça de ninguém, ainda. Mas o fato é que acabamos desperdiçando. Nossas comemorações de gol acabaram restritas aos do Engenhão.
Era nítido que a torcida esperava um outro comportamento da equipe na partida desde o início. E como não criávamos oportunidade alguma de gol, ela foi se calando, se calando e esperando por algum lance que a motivasse novamente.

No segundo tempo, sim, ela apoiou, incentivou, cantou, se desesperou; mas, o panorama não mudou. A entrada do Fierro até nos deu mais opções, chegamos a criar algumas jogadas de perigo, mas o infrutífero jogo “na base do abafa” se manteve até o fim.
Não houve “já ganhou”, como tenho ouvido muito por aí. Faltou foi inspiração mesmo.
Para ser totalmente franco, nossa equipe não parece ter a mesma eficiência quando tem que partir pra cima que demonstra quando partem pra cima dela. Hoje em dia, nossos contra-ataques em velocidade são nossa arma mais mortal e o Goiás não nos deu a chance de colocá-la em prática.
Mas, mesmo assim, se a falta que o Pet bateu no primeiro tempo tivesse ido um palmo mais para a direita ou se o pé do zagueiro do Goiás estivesse um palmo mais para trás quando o Adriano ficou diante do gol no tempo final, estaríamos todos aqui hoje dando cambalhotas de alegria.

A formação do mosaico não teve ABSOLUTAMENTE NADA a ver com o resultado. Ele foi idealizado para que os jogadores percebessem o nosso apoio, nossa confiança e a grandeza da Nação que representam. Apenas isso.
Por acaso houve alguma formação do mosaico DURANTE a partida? Então como pode ele ter atrapalhado? A ansiedade da torcida por ele é MAIS DO QUE justificável pelo ineditismo da sua grandeza; e, se ele provocou alguma reação nos jogadores, só pode ter sido para dar a noção exata do tamanho da responsabilidade de cada um.

O que vimos no Maracanã domingo FOI, SIM, o MAIOR espetáculo que uma torcida já proporcionou dentro de um estádio desde que os ingleses inventaram o Futebol e do qual eu sinto um orgulho “DU CACETE” de ter participado. Guardei até a placa que levantei como recordação.
Ver o Maraca colorido em vermelho e preto, como nunca tinha sido antes, é algo que vou guardar até o último dos meus dias aqui no andar de baixo.
Se o Adriano não rendeu o que esperávamos (o que poderia fazer SOZINHO com dois ou até três zagueiros fungando em seu cangote?), não foi por causa do mosaico; o Pet não errou os passes que normalmente acerta por causa do mosaico e nem o Zé Roberto voltou a ser um ZEROberto por causa do mosaico.
E tenho CERTEZA que esses mesmos que estão criticando o nosso mosaico agora, quando vissem uma outra torcida fazer o que fizemos diriam: - “É uma vergonha que não tenha sido a torcida do Flamengo a primeira a tomar essa iniciativa”.

O que aconteceu foi que o Goiás, que é uma boa equipe (com a chegada do Fernandão alguns comentaristas renomados chegaram até a apontá-los como possível campeão), veio jogar aqui disposto a não perder, não permitir que nossa equipe impusesse o ritmo de jogo que lhe interessava, jogando fechadinho, gastando todo o tempo que podia desde o primeiro minuto da partida e não perdeu. Simples assim.
Se esse comportamento foi motivado por alguma mala branca do SP, ou não, só saberemos depois de analisar a atuação deles no próximo fim de semana.

Demos mole e o nosso título ficou mais difícil? Isso nem se discute. Mas se o time do Goiás jogar com a mesma dedicação, aplicação e vontade de não perder demonstrada no domingo passado, E NÓS ATROPELARMOS O TIMINHO COMPRADOR DE TÍTULOS DAQUELE TRAÍRA REPUGNANTE EM CAMPINAS, nada estará perdido.
A decepção e sensação de desperdício de uma grande oportunidade são perfeitamente justificáveis. A perda da esperança ainda NÃO!

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!

Ps: Gostaria de me desculpar com os amigos que ficaram sem resposta na última coluna, mas uma série de problemas particulares e conexão aqui no site me impediram de fazer o que me dá tanto prazer.

Ps (2): Foi um IMENSO prazer assistir a mais um jogo do Mengão ao lado dos meus queridos Flavio, Marcio Tend, Sidney, de conhecer pessoalmente o Vinicius e de rever o meu grande amigo Caixeta.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

28 anos da conquista da Libertadores..


No estádio Centenário, em Montevidéu, Rubro-Negro vence o Cobreloa, do Chile, por 2 a 0 e conquista o título.


24/11/1981 - 28 anos da conquista da Libertadores


No dia 23 de novembro de 1981, o Rubro-Negro bateu o Cobreloa por 2 a 0, em Montevidéu, com dois gols do eterno Zico, e levantou o seu primeiro e único troféu da cobiçada Taça Libertadores da América.

Ainda naquele ano, o Flamengo faturou o Mundial Interclubes.


A decisão aconteceu na capital Uruguaia, porque, no jogo de ida, os brasileiros venceram pelo placar de 2 a 1 no Maraca, e no jogo de volta perderam por 1 a 0 no Chile, duelo marcado pela violência dos anfitriões, que até pedras usaram para atingir os rubro-negros.


Sem poder contar com Lico, vítima das agressões, Capergiani, o técnico da época, montou a equipe com Nei Dias na lateral direita, Leandro no meio e Adílio na função de Lico.

O time entrou em campo com
Raul, Nei Dias, Marinho, Mozer, Júnior, Leandro, Andrade, Zico, Tita, Nunes (Anselmo), Adílio.


Veja os gols da partida:






Rumo ao Bi, no ano que vem!!


Eu Acredito!!!

SEJA NA TERRA, SEJA NO MAR

Agradecemos as tirinhas sempre geniais dos nossos amigos Andre Dahmer & Arnaldo Branco.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

domingo, 22 de novembro de 2009

FLAMENGO X GOIAS




FICHA TÉCNICA
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)




Bruno, Leonardo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Juan; Aílton, Toró, Willians e Petkovic; Zé Roberto e Adriano.




Harlei, Vitor, Rafael Toloi, Ernando e Júlio César; Rithelly, Fernando, Léo Lima e Iarley; Felipe e Fernandão.


sexta-feira, 20 de novembro de 2009

CULINÁRIA DO BUTECO

BOLO DE AIPIM ROCCO FERMO

1 KILO DE AIPIM.
1 COCO ( do tamanho da cabeça de uma criança baiana de aproximadamente 2 anos).
1 LATA DE LEITE CONDENSADO
4 COLHERES DE AÇÚCAR
1 COLHER DE MANTEIGA
3 OVOS
LEITE ATÉ ENCHER O LIQUIDIFICADOR

Após bater os ingredientes, colocar a massa em um tabuleiro prèviamente untado com manteiga.
Deixar no forno até fazer aquela casca queimada e grossa (ui!) por cima do bolo.
Servir em quadradinhos antes, ou após, a vitória do Flamengo sobre o Goiás. E o Botafogo que dê o jeito dele pra não cair!

E Preciso se Impor nos Tribunais.


Derrepente o Flamengo passou a levar a culpa de todos os desastres naturais, das diferencas humanitarias, do desmatamento da Amazonia, da crise economica mundial, das guerras do Iraque/Afeganistao, do derretimento das geleiras da Antartica e da sexualidade assumida dos Bambis.

De forte candidato ao rebaixamento, a REAL candidato ao Titulo de Campeao Brasileiro de 2009, ou melhor do HEXA, legitimo e inquestionavel.

O desespero tomou conta do clube de Madame Leonor, do clube dos atributos sempre duvidosos e sujos, do clube que sempre soube como ninguem fazer valer suas "virtudes" pouco ortodoxas, mas sempre desleal e covarde.

Pra total e completo desespero dessas bichonas assumidas, o Flamengo chegou e vai querer o bolo inteiro da festa.
O Flamengo precisa entender que nao basta apenas ter o melhor time e jogar o melhor futebol da competicao, tem que ter a melhor equipe tambem fora dos gramados e se impor e fazer valer o seu real valor.
O clube daquela torcida esquisitinha, delicada, eu diria ate meio fragil agora vem dizer que nao reconhece o titulo de 1987 do Flamengo. Vou recordar, vou dar um fresh start em suas memorias, o entao presidente dos bambizinhos na epoca da discussao com aquele clube que encabecou com a aquela frase racista e vergonhosa que a nossa Aninha Lemos registrou com sua camera, ele foi taxativo ao dizer: O CAMPEAO DO BRASIL DE 1987 E O FLAMENGO!
Agora esse mesmo clube diz nao reconhecer, nao e caso de garotinho mimadinho, "alegre", coisa de BICHONAS mesmo.
O momento e decisivo e nao deixaremos que forcas ocultas que ja nao sao mais tao ocultas, que nos tirem o nosso tao e aguardado HEXA, nem que pra isso precisamos usar as mesmas armas, mas nunca esquecedo de usar a camisinha, e claro.
O Flamengo so perde pra ele mesmo. (by Jose Teofilo Mitchell)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Com o Flamengo Aonde Ele Estiver, SEMPRE!

Caríssimos colegas rubro-negros, atendendo ao convite do ilustre Rocco, venho, partilhar com vocês a experiência da minha viagem a Recife para ver o jogo contra o Náutico.
Gostamos muito do pacote e do fato de estarmos ajudando o Flamengo, uma vez que o programa é oficial. Além disso, o pacote (que é bem em conta) oferece um Kit contendo camisa, chaveiro, adesivo, capa de chuva e um inflável).
O pacote incluiu ainda todo o transporte, ou seja, aeroporto/hotel, hotel/estádio, estádio/hotel e hotel/aeroporto, o que representou conforto e segurança.
Saímos do Rio no domingo às 6:00hs e chegamos em Recife às 10hs e 50 min, portanto bdeu para pegar uma praia antes de ir para o Estádio, pois o transporte passaria às 14:00hs no hotel.
Na ida para o Estádio o Daniel (guia) disse que iria sortear uma camisa autografada e na hora eu pensei “vamos ganhar essa camisa”, não deu outra a camisa foi para o mau filho! Nem preciso dizer como ele ficou feliz!


Eu disse para a galera que isso era um bom presságio, pois meu filho é um tremendo pé quente, pois nunca esteve presente em nenhuma derrota importante do Flamengo.
Chegamos no Estádio às 14hs e 15 min e o movimento das torcidas era grande durante todo o trajeto. A van nos deixou perto da entrada para a torcida visitante e tivemos que ficar uma fila enorme (ser da maior torcida do mundo tem um preço, né galera?) para poder entrar no Estádio.
Ficamos impressionados com a polícia de Recife, pois foram muito calmos e o conseguiram organizar a fila numa boa, sem precisar jogar os cavalos em cima da gente.
O estádio do Aflitos é horroroso, ficamos espremidos o tempo todo, sendo obrigados a ouvir uma cantoria infernal que vinha de um auto-falante que tentava (em vão) abafar os cânticos da nossa torcida.
A nossa torcida não parava de chegar e, pudemos constatar que a maior parte dela era de pessoas que tinham vindo de outros Estado para ver o Mengão jogar, gente simples, trabalhadora, que sempre que o Flamengo joga no Nordeste faz todos o tipo de sacrifício para ver o time.
Nesse momento, lembrei daquele infeliz do gordo/traveco que teve a cara de pau de dizer que a nossa torcida não era a maior do mundo, pois a maior parte dela era composta por pessoas que tinha o flamengo como segundo time.
Posso afirmar que não vi ninguém que parecia torcer pelo “seu segundo time”, pois a energia que emanava daquelas pessoas era incrível, de arrepiar mesmo, inesquecível e eu pude entender melhor como o Flamengo é amado e idolatrado por torcedores que não tem tanto contato com o time.
Fiz amizade com um pessoal de Maceió que garantiram que estarão aqui para ver o jogo contra o Grêmio.
Antes de o jogo começar pude apreciar mais ainda o trabalho da polícia de Recife, pois a “torcidinha” recalcada e bairrista deles ousou colocar aquela faixa preconceituosa “vergonha do nordeste”, a polícia então, após uma pequena reunião no campo, subiu e mandou tirar a faixa.


Dez minutos depois, a faixa apareceu de novo e a polícia subiu e baixou o sarrafo nos caras. Bem feito! Quem mandou implicar com a maior do mundo??

Outra coisa que achei emocionante, foi o cumprimento dos jogadores antes do jogo. Galera é de arrepiar.

Do jogo não vou falar, pois vocês já sabem o resultado. O que posso falar é que valeu a experiência, valeu a viagem, apesar do custo e do desgaste, pois voltamos para o Rio no dia seguinte, com os três pontos na mala, é claro!

Aqui em casa já estamos pensando em viajar para ver um jogo da Libertadores e vocês iriam até ande para ver o Flamengo??


PS: Ana Lemos e Advogada e uma das primeiras participantes do Buteco do Flamengo.
O Rubro-Negro acima e o filhao da Aninha, o Guerreiro Renan.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A VONTADE DOS DEUSES !




Lembro que comentamos aqui que o Náutico não chegava a preocupar pela necessidade que eles teriam de sair para o jogo, permitindo que tivéssemos espaço pra jogar. E isso realmente acabou acontecendo. Nossos contra-ataques liquidaram o jogo ainda no primeiro tempo e poderíamos até ter enfiado uma goleada neles no segundo se não tivéssemos perdido tantos gols.
E é por esse mesmo motivo que temo pela sorte do Botafogo contra o SP.
O problema no jogo do Engenhão é o fato do empate NÃO SERVIR para o Botafogo, pois neste caso, e com uma vitória do Flu, é ele, Botafogo, que entrará na zona da degola, por ficar com menor número de vitórias.
Portanto, eles vão ter que buscar o resultado e jogar da forma que interessa ao SP.
Preocupante? É, não deixa de ser, mas os Deuses do Futebol andam sorrindo tanto para nós ultimamente que mantenho minhas esperanças de assumir a liderança ainda nesta rodada.

Há duas semanas, disse aqui que só voltaria a falar em título depois de ganharmos do Galo e do Náutico fora, não foi? E nós ganhamos! Portanto, o que antes já foi um objetivo, hoje se transformou em prêmio de consolação. Libertadores agora já passou a significar libertaDORES de cabeça.
Nós queremos é o Caneco! Sonhamos com ele, merecemos ele e estamos prontos pra levá-lo para a nossa nova sala de troféus.

E temos tido aquela dose de sorte que normalmente acompanha os campeões.
Ibson vai embora. Tragédia? Que nada! Entra o Pet e se torna absolutamente fundamental e decisivo.
Adriano anda enfiando o pé na jaca e causando mal estar geral? Pois aparece uma bendita e estonteante criatura que conquista seu coração e o transforma em exemplo de conduta.
Zé Roberto, que foi oferecido para todo mundo, e ninguém quis, de repente recupera a vontade, e a qualidade, de jogar.
Cuca vai embora, nossa diretoria se demite e não há técnicos de ponta disponíveis no mercado.
“IH, agora a vaca vai pro brejo!” Nada disso.
Andrade assume a equipe, lhe dá padrão de jogo, une o grupo e os jogadores passam a correr ainda mais pela amizade que sentem por ele.
Não resta mais dúvida que os Deuses do Futebol estão sorrindo pra nós.
E vamos ser campeões, sim, porque esses mesmos Deuses do Futebol já devem estar de saco cheio de ver a torcidinha desse time que ainda está à nossa frente comemorar, abanando bandeirolas, como público de Parada de 7 de setembro. Sem graça, sem paixão, sem criatividade.
Está na hora deles reverem o MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA.

Há alguns anos, estamos ensaiando essa história que se delineia em 2009.
Em 2007, a reação começou tarde, mas já deixou todos boquiabertos pela força e capacidade de reação demonstrada.
Em 2008, começamos no topo, mas as dificuldades financeiras nos obrigaram a desfazer um time que tinha pinta de campeão.
Esse ano não. Se no primeiro ato tudo nos levava a crer que a história voltaria a ter ares de um dramalhão, o segundo vem se mostrando uma comédia que tem tudo para fazer gargalhar quarenta milhões de espectadores.
Nas últimas quatorze rodadas, perdemos uma, empatamos três, e vencemos dez.
Chegamos a estar a 12 pontos da liderança, mas, no melhor estilo Airton Senna em uma corrida que começasse a chover, fomos passando um a um dos adversários até chegar ao vácuo do líder a três voltas do final.
E os Deuses do Futebol sabem que não nascemos para ser vice de NADA.

O jogo contra o Goiás é apenas a primeira das três finais que nos faltam.
Jogo em casa de time que quer ser campeão e com recorde de público, tem que ser pressão total o tempo todo. Mostrar para o adversário de cara que não há menor possibilidade dele tentar impedir nossa festa. Que este se contente em tomar de pouco e continuar brigando por Sulamericana.
Não há mais espaço para chance de adversário. É vencer as três que faltam sem fazer contas ou pensar em ninguém.
Já comemos peixe, carne de porco, filé de veado, galinha e frutos do mar; portanto, não será com essa folha de alface que vamos engasgar.
Se infelizmente perdermos o Maldonado (incrível como as seleções nos prejudicam), vamos de Toró, com a mesma confiança. Já participou de várias conquistas com esse grupo, está mais do que entrosado e certamente vai se doar ao máximo.
A hora não é a de ficar chorando perda de pontos antigos nem de jogadores lesionados. A hora é de jogar como um time que quer SER CAMPEÃO.
E ISSO NÓS QUEREMOS E VAMOS SER!

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Flamengo: 114 Anos de História




Era a tarde do dia 19 de julho de 1992, aproximadamente às 3 horas da tarde. Estávamos no carro, eu, o proprietário da viatura, meu amigo Ricardinho Mello, seu filho Raphael, com apenas sete anos, o Beto e seu filho Betinho. Todos vestidos a caráter, com o Manto Sagrado de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Torcedor mais famoso e cantado unicamente em Nosso Hino. O destino era o Maracanã. O evento a ser presenciado, era o segundo jogo da decisão do Brasileirão, entre Flamengo e o São Raimundo de jerenal severiânus.
Começamos a subir a Ponte Rio Niterói e, logo enfrentamos o primeiro, mas pequeno, engarrafamento, em frente ao posto da patrulha rodoviária federal, cujo motivo era, uns dez ônibus, lotados com torcedores Rubro-Negros parados, levando uma dura dos policiais, pois, de todas as janelas de cada coletivo, os Flamenguistas apareciam dependurados, com mais da metade de seus corpos para fora. Os homens da lei gritavam e mandavam que entrassem. Os torcedores se ajeitavam e o ônibus era liberado, mas, logo que andava dez metros, voltavam todos a colocar, uma perna, tronco e cabeça pra fora e a gritar “Mengo”.

Ao chegarmos ao topo da ponte, no vão central, de onde já se via o lado de descida, dali pra frente, tudo estava parado.
Abri a porta e desci do carro, chorando. Gritei com o Ricardinho e com a turma, para que também descessem. Tiramos nossos Mantos Sagrados e começamos a rodá-los, acompanhando a massa, que desde onde estávamos, até onde nossas vistas alcançavam, fazia o mesmo.
Era uma enorme escola de samba, desfilando solene, em plena Ponte Rio Niterói, toda em Vermelho e Preto, rodando camisas e bandeiras e cantando seu samba enredo, que era o Hino do Mais Querido.

Eu nunca vi coisa tão linda, tão emocionante! Ali, naquele momento, eu tive certeza do título, pois, nem o mais cruel destino se atreveria a enfrentar, contrariar e evitar, a festa daquela Nação.

O mundo é Flamenguista! O universo é Flamenguista! A Nação Rubro-Negra é, sem dúvida, uma das sete maravilhas do planeta! Não há sentimento coletivo maior e mais intenso que ser Flamenguista!
De volta ao carro, meu amigo Ricardinho me olhou e disse a seguinte frase:
“_Graças a Deus, meu Pai me ensinou a ser Flamenguista!”

Cinco anos após este dia, o Raphael, filho do Ricardinho, que joga um bolão, foi treinar no merluza, onde recebeu uma lavagem cerebral, dada pelo eu-rico pilantra e seus asseclas e, hoje em dia, o garoto, já rapaz, foi mais um que vibrou com a gloriosa conquista de “campeão da segunda divisão”, título este que, se ele continuasse a ser Flamenguista, jamais poderia comemorar.

Este fato prova que a tese de meu amigo não está correta. Não se ensina a ninguém ser Flamenguista. Este é um sentimento inato. Não é o corpo, mas sim, o espírito, que nasce Flamenguista.
Com certeza, o espírito do Raphael, que considero um sobrinho, ainda não atingiu o grau de elevação necessário para ver Zico frente a frente.

Então, quero acreditar que, o “Pai”, ao qual o Ricardinho se referiu, agradecendo por lhe ter ensinado a ser Flamenguista, tenha sido “Deus”. Aí sim, eu vejo uma razão óbvia, pois, Deus é Rubro-Negro e também passou a Jesus, Seu Filho, o mesmo ensinamento.

E, por falar em Deus, vejam bem que, sua obra na criação do mundo, não foi exatamente como conta a Bíblia. Não foi tudo criado apenas em sete dias. Não......! A última obra do Criador se deu no ano de 1895.
Foi preciso bilhões de anos, apreciando sua criação, para que Deus chegasse à conclusão de que, ainda faltava alguma coisa. Então, mandou chamar à sala do trono quatro santos. São José Agostinho, São Mário Spíndola, São Augusto da Silveira e São Nestor de Barros e lhes deu a ordem:
“_Vão à terra e plantem a semente do Clube de Regatas do Flamengo!”

Claro que não duvido da história da Arca de Noé, até porque, não fosse ela, não haveria o “sumpaulo fuck-me-bol cluuuuub”, pois, Noé, cuidou de colocar na embarcação, um casal de cada bicha,.....digo,....bicho e assim, entre os passageiros históricos, lá estava um lindo casal de bambis. O bambi macho (???...úúúúiii...) era chamado Rich e a fêmea Alisson. Após a porra do dilúvio, eles fizeram inseminação artificial, para evitar o contato físico e tiveram um lindo filho, chamado.........aaahhhmm........esqueci o nome do bambinho.

Porém, uma versão mais máscula da Arca estava para ser conhecida pelos habitantes da terra, trazida por estes quatro santos. Sob a ordem, a benção e os olhos de Deus, lançaram ao mar a Baleeira Pherusa e, por fim, vendo que Sua obra estava então completa, o Criador pode descansar.
Estou apenas resumindo, pois, a íntegra desta história, vocês poderão ler em “O evangelho Rubro-Negro”.

E foi naquela tarde de 19 de julho de 1992, que Deus saiu de seu banho, vestiu seu roupão Vermelho e Preto, sentou-se, mais uma vez, em Seu trono e gritou para januário, o santo mais babaca e trouxa do céu, responsável pelo serviço de atendimento culinário local:

“_Ôôôô januário, seu mané,....traz uma porção de azeitona, uma cervejinha gelada, liga o ar condicionado e minha Tv de plasma de 50 polegadas, que eu quero ver o meu Flamengo ser Penta Campeão Brasileiro!!” E não deu outra.

E não foi somente na criação do mundo que o Flamengo teve fundamental participação. Durante todo o processo de evolução da humanidade, no estudo das crenças e na evolução política, o Mais Querido sempre esteve presente, mesmo quando ainda não fundado.
Sim....! Como já foi amplamente citado por vários amigos, existe o “Espírito Flamenguista”, que anima os corpos e este, ainda em seu estado etéreo, já influenciava a espécie humana em suas decisões.

Por exemplo: “O Dia do Fico”
No ano de 1822, havia no Rio de Janeiro colonial, um time de peladas, o Phlamengo, também Vermelho e o Preto e o craque desse esquadrão, chamava-se “Dom Pedrokovic II”. Encantados com seu belo e vistoso futebol, dirigentes do Benfica de Portugal, formularam uma proposta milionária, pelo passe de Pedrokovic, cerca de um milhão de coroas.
Vendo a tristeza e o desconsolo dos torcedores, com sua suposta partida para o exterior, Pedrokovic, reuniu a galera em frente à estação do metrô da carioca e mandou a conhecida frase:
“_Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação Rubro-Negra, diga ao povo que fico!”

E tem mais. Imaginem amigos, a surpresa que foi a chegada do homem à lua. Havia uma briga tremenda, pela supremacia espacial, quando, no ano de 1969, os EUA lançaram de Cabo Canaveral a nave Apolo 11. Do lado da cortina de ferro, no mesmo dia, na mesma hora, os Russos lançaram seu Sputnik. Foi um pega pra capar no espaço cósmico. Os americanos aceleravam sua máquina ao máximo, mas, sempre com a detestável companhia dos russos, bem ao lado. Era cabeça com cabeça, nariz com nariz. Chegaram à lua, puxaram a porra do freio de mão, juntinhos e estacionaram, um ao lado do outro e a discussão começou.
_Cheguei primeiro!!
_Não, fui eu!!
_Você é o cacete, seu comunista comedor de criancinha, fui eu!
_Nã nã ni nã nóvisck,.....fui eu!!

E foi então, durante o calor do bate boca, que os dois tiveram a maior surpresa. Ao ouvirem uma gritaria, olharam mais a frente viram uma galera, de Camisas do Flamengo, gritando “Goooolll”.
_Oh, my God,....(disse Armstrong)....is the Flamoon!!!
_Ei,…..Mister Armstrong,….(gritou o chefe da Torcida) O Mengão acabou de vencer mais um adversário e está chegando à final!!!
Daí, Neil Armstrong disse a frase, que ficou eternizada.
_Este é um pequeno passo para o Clube, mas um grande passo para o título do campeonato!!

Mas, não me perguntem se o Flamengo influenciou o famigerado 11 de setembro, pois, a resposta é óbvia; Claro que não. Se os pilotos fossem Rubro-Negros, jamais aqueles aviões cairiam.
Mas, pesquisando na net, descobri os nomes dos três pilotos. O primeiro, chamava-se Obotah Assif Uhdeu, o segundo, já veterano e tarimbado em, quedas, chamava-se Ababah Dauh Nimedh, estes dois chocaram (có có ri cóóó)-se contra o WTC e o terceiro piloto, era o famoso Ely Minadh Euricob Mirandah, que tentou acertar o “Penta”gono na primeira, mas, só conseguiu na segunda.

E só pra citar mais uma influencia histórica do Mengão, vale lembrar a escolha do Papa João Paulo II e aquela fumacinha que solta da chaminé.
Fazia uma tarde calorenta no Vaticano, com os fieis dando voltas em torno da praça, todos aguardando a decisão do sacro colégio de cardeais. Entre os votantes, havia um cardeal brasileiro, que, com um mini radinho de pilhas, escutava um jogo do Flamengo, quando, de repente, no rádio, o saudoso Waldyr Amaral anunciou:
_Atenção, é falta na entrada da área. Vai bater Zico,.....é fumaça de gol para o Mengão......caminhou Zico atirou, é golaço!!!
Nesse momento, o cardeal brasileiro abraçou o João Paulo, a seu lado e gritou:
_Esse é o cara,....ele é o papa!!...Ele é o nosso líder...vai ser eleito o melhor da disputa!!!!!...Vamos conquistar mundo!!!
Pronto. Estava escolhido o novo líder da igreja católica.

E então, depois de todas as glórias e de escrever tanta história, o nosso Clube de Regatas do Flamengo, esta semana, completou seus 114 anos de idade.
Que poderia eu, lhe dar de presente?
Já lhe dei meu coração...já lhe dei minha alma, minha vida, minha emoção, todos os meus sentimentos,......já lhe dei minhas lágrimas, meu riso, meu suor, meu sangue, meu berros,.....por ele, já rasguei bandeira inimiga e até já briguei, quando era garoto,......que mais poderia lhe dar de presente?

Pois, o melhor presente que encontrei, foi, mais uma vez, apenas palavras.
E com uma simples e pequena frase, eu quero resumir tudo que eu já disse sobre o Flamengo, desde o dia em que me entendi como torcedor.

Flamengo, eu te amo!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

TODA FORMA DE AMOR


Saudações Rubro- Negras! Somos os autores de uma nova versão para o Flamengo e gostaríamos muito de contar com vcs! Apresentaremos amanhã a música nas torcidas! A música é TODA FORMA DE AMOR (do Lulu santos). Tem uma letra muito bonita! A estréia será contra o Goiás. Fizemos um vídeo com a versão (Áudio, Vídeo e letra). Se pudessem posta-lá, vai ser lindooooo! Contamos com vcs! Vão ajudar e muito na divulgação

O ESPÍRITO JÁ É CAMPEÃO!

Saudações Rubro-Negras!
Não, amigos, não é uma postagem psicografada do Chico Xavier, mas fala do espiritismo rubro-negro, que ganha contornos de religião pela fé dos seus adeptos. O Flamengo é isso, transcende e irradia, conquista espaços onde chega a sua força, seja em outros estados, seja no estrangeiro! Provoca a incompreensão de alguns menos esclarecidos, com a sua preferência, como é o caso do Hélio dos Anjos, e das estúpidas faixas nos Aflitos. Fossem um pouco mais inteligentes e saberiam que não adianta se debater contra uma força maior, foguetórios então, são inúteis!
Quando o espírito já é campeão em suas fibras, em sua postura, as conquistas são uma consequencia. E esses dois aí abraçados, além dos gols decisivos, trouxeram isto ao nosso time, o Espírito de Campeão! Que era o que faltava ao time, e nos deixava, inconsoláveis, pelo meio do caminho. Dois jogadores fantásticos, cada qual vencendo seus fantasmas (ôpa! a coluna está mediúnica) e levando o Mengão a grandes vitórias! Quando um nos faltou (Flamengo x Barueri), a caminhada teve um tropeço. Mas foi retomada, verticalmente, para nossa alegria e desespero dos concorrentes.
É uma pequena homenagem, e gratidão imensa aos dois grandes, Pet e Adriano, mas há também um reconhecimento profundo a outros do elenco. Do jogo de ontem, a imagem que mais volta na minha lembrança, é o Álvaro marcando aquele jogador do Náutico, o Cláudio Luís. Pôrra, o Álvaro batia no suvaco do grandalhão, ô função ingória! Mas, mesmo assim, sorria vitorioso, desafiante, e o pobre gigante com aquela cara chorosa, gemida, pressentia que a estatura do nosso zagueiro não se media pelo seu físico! E na moral, o Álvaro não deixou o, agora, anão ganhar uma pelo alto! Isto é espírito de campeão!
Assim como o irmão Rocco, tenho que deixar de lado a minha cruzada contra o Bruno e o Léo Moura, para reconhecer que os dois foram muito bem, mesmo, ontem! E, o faço com a maior alegria, pois foram importantíssimos na nossa vitória! Assim como o Willians, que pode não ser nenhum virtuose, mas é de um atrevimento e entrega, que são as caracteríticas exigidas pela Nação no currículo de um jogador. Além disso, fez boas jogadas o Willians, e executou bons cruzamentos. Correu o campo todo, e saiu mais extenuado, do que machucado. O Airton é outro jovem, que vem amadurecendo muito sob o comando do Tromba. E este é um dos segredos do nosso time, o equilíbrio. Parece que influenciado pela figura do Andrade, sereno e humilde, seja nos jogos ou nos treinamentos, o time conseguiu que os jovens atuassem como veteranos, e os veteranos jogassem com a entrega de um jovem.
Com o retorno do Maldonado e do Fierro, para o jogo contra o Goiás, nosso time que vem ganhando massa, e posições, a cada rodada, vai jogar mais confiante e motivado, principalmente, pelo jogo ser na nossa casa, com a Nação presente em toda a sua grandeza, assombrando com as suas lendas o visitante que ousar entrar nos seus domínios.
Corra Bambi! Corra! Porque o Urubu está voando baixo, já que você não sabe voar!

NAO TEM PRA NINGUEM!



O time mostrou o que temos visto nas ultimas partidas, UNIAO,SUPERACAO e VONTADE DE VENCER.
Estamos a 2 passos do paraiso e nao tenho a menor sombra de duvida que seremos HEXA!

domingo, 15 de novembro de 2009

NAUTICO X FLAMENGO

Watch live video from Boston TV HD on Justin.tvWatch live video from Boston TV HD on Justin.tv
Transmissao ao Vivo em HD







FICHA TÉCNICA:


Local: Estádio dos Aflitos, em Recife (PE)
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Alessandro Rocha (Fifa-BA)


NÁUTICO: Gledson; Vágner, Fernando e Anderson Santana; Patrick, Juliano, Irênio, Aílton e Michel; Carlinhos Bala e Bruno Mineiro.

FLAMENGO: Bruno; Leonardo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Éverton Silva; Aírton, Toró, Willians e Petkovic; Zé Roberto e Adriano.

sábado, 14 de novembro de 2009

Vamos Atropelando.

Agradecemos ao Andre Costa e ao Magia Rubro-Negra.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DEBATE DOS CANDIDATOS A PRESIDENCIA.


Seriedade, Foco e Determinacao.

Andre Dahmer e Arnaldo Branco sempre mandando muito bem!!!!



Chegou a hora da onca beber agua, chegou a hora pra ver quem tem garrafa velha pra vender, agora nao tem mais mamae e papai e muito menos a vovo pra ajudar, agora e tiro e bomba.

Quatro jogos e tudo que nos restam. O sonho de quase duas geracoes que so conhecem o titulo maior do futebol brasileiro pelo ouvir falar dos mais velhos e que perseguimos por 17 longos anos.

Agora e a hora da superacao, de esquecer todo e qualquer problema, seja ele qual for.

Eu sei o que depender dos jogadores eles farao, tenho essa certeza comigo. Eles sabem da importancia desse titulo na carreira profissional deles e nao vao querer perder essa oportunidade . Um titulo de Campeao Brasileiro jogando pelo Flamengo, NAO TEM PRECO!

Sabemos que teremos muitos problemas extra campo, arbitragem contra, malas comendo soltas de todas as cores, principalmente verde, tricolor, preta e branca e azul, mas com o time jogando tao determinado, aplicado, podem vir as malas do Banco Central que NADA vai nos deter, NADA!

Hoje eu abro mao da minha bronca pessoal com o Bruno, Juan e Leonardo Moura. Nao quero nada atrapalhando nessas 4 partidas que nos restam, e nao quero que a minha bronca sobre esses 3 jogadores se facam presentes, estarei do lado deles com toda a minha forca nesse momento.

Facam desses 4 jogos, os jogos de suas vidas, dos seus filhos, das suas esposas/namoradas, de seus pais, facam por voces mesmos, porque a NACAO RUBRO-NEGRA fara por voces.

MENGGGGGGGGGGGGGGGGGOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO




PS: Ze, esse post e pra voce!

O Flamengo, so perde pra ele mesmo!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

FELIZ ANIVERSÁRIO !!!




O comandante das arbitragens de um país distante chega para “Os Poderosos” da “Corja Mundial”, responsáveis pela transmissão dos jogos do campeonato nacional de lá e que por isso se sentem no direito de decidir quem vai vencê-lo, e afirma:
- Olha, eu recebi o pagamento de vocês direitinho, exatamente como nos anos anteriores, mas dessa vez está difícil de cumprir o combinado. O time do “Coqueiros” vem seguidamente perdendo pontos que considerávamos fáceis; tentamos ajudar de todas as formas; até pênalti em um escorregão do Etto nós marcamos, mas está difícil.
O time do MAIS QUERIDO vem chegando com toda força; está todo mundo apavorado com essa diferença caindo rodada a rodada. Assim, acho melhor passarmos imediatamente para o Plano B.
- E qual seria o “Plano B” dessa vez? - pergunta o representante da Corja Mundial.
- O plano B é a gente passar a ajudar o time do “São Pedro”. Negocia com a gente há mais tempo, já ganhou os últimos três anos e ninguém vai estranhar se ganhar de novo.
- Mas a gente prometeu que esse ano ia ser do Coqueiros. Já foram os Anjos, o BRIOCOrintians e o São Pedro três vezes. Agora tem que ser a vez do Coqueiros. Precisamos diversificar, senão desconfiam.
Mas o comandante das arbitragens retruca com veemência:
- Vocês querem correr o risco do MAIS QUERIDO levar esse Caneco? Eles vão recuperar a hegemonia que levamos anos para tirar deles, toda a nossa MACIÇA anti-propaganda feita nos últimos anos irá por água abaixo, e a torcida deles aumentará ainda mais seu ritmo de crescimento.
Diante dessa possibilidade assustadora, nada mais restava a dizer:
- Você tem razão. Não podemos correr esse risco. Partamos, então, para o plano B.

Essa é apenas uma história de “ficção”, ocorrida em um país longínquo, mas poderia não ser. Poderia estar acontecendo aqui mesmo e precisamos estar DE OLHOS BEM ABERTOS.
O Botafogo já vem recebendo as “recompensas” pelas vezes em que foi prejudicado pelas arbitragens e todo esse destaque dado ao novo “erro” do Simon nada mais é do que o pedido desesperado por um time em queda livre: “COMPENSEM ELES NA PRÓXIMA !”.
E o mais engraçado é ver o presidente do Palmeiras dizer que estão armando para nos favorecer . Será então que fomos nós que fornecemos uma mala branca para o Barueri correr mais contra nós mesmos? Acho que este Sr. deveria olhar mais para quem está ao seu lado.



NUGUETS

Mais uma vez provamos que o único Galo de verdade é o Sr. Arthur Antunes Coimbra. Aquele, que atropelamos em pleno Mineirão, não passa de um mero NUGUETS de frango. Um prensado feito de galinha que nos é servido sempre que nos tornamos um Urubu Faminto. Um timezinho de segunda com uma torcida de terceira.
Esse negócio de soltar fogos e promover buzinaços nas cercanias do hotel onde nossa equipe se hospeda, impor aos nossos torcedores que assistam o jogo em um lugar que mais parece uma toca de tatu, e não disponibilizar ingressos para os nossos torcedores do Rio é coisa de time que não se garante, de Timinho de segunda classe.
E tudo isso para, no final, os lugares que não nos permitiram adquirir só servissem para que um maior número deles presenciasse o nosso atropelamento dentro de sua própria casa. Tiveram o que mereceram.

Provamos a todos aqueles que nos ignoraram que merecemos mais. Muito mais. Temos, SIM, os dois melhores jogadores da competição. Um GENIAL e o outro absolutamente MORTAL. Somos um time experiente, muitíssimo bem armado e que joga com inteligência. E se a imprensa VENDIDA para a Argentina Brasileira não acredita em nós, azar o dela.
Até deixo aqui a sugestão para que os Srs. Lédio Carmona, André Rizek, Mauricio Saraiva e Bob Faria passem a fazer previsões de tempo. Quem sabe assim eles não acertam de vez em quando?
Durante o ano inteiro a gente só ouve desaforo. Para eles somos apenas “Fla”, não “MENGÃO”. Somos o time que não paga, que tem as rendas penhoradas, sem estrutura, sem centro de treinamento, onde os jogadores faltam aos treinos sem punição, um tetra que pensa ser penta, o detentor de um penta-tri que nada vale e uma outra infinidade de afirmações levianas e desabonadoras.
Mas, quando a gente chega, eles sabem que é pra levar. Em cinco finais, LEVAMOS TODAS ! E estamos prontinhos pra levar essa também.
Este Flamengo que estamos vendo é MUITO FORTE, unido, fechado, feliz, com salários em dia e disposto a dar mais uma volta olímpica. E, se fizermos doze pontos nas próximas quatro rodadas, nós VAMOS DAR essa volta olímpica.

Se temos mais uma parada dura (principalmente pelo estado lamentável do gramado) pela frente no próximo domingo, temos também os nossos irmãos nordestinos que certamente comparecerão em massa para nos ajudar a garantir esses três pontinhos em uma casa que é nossa também. Afinal de contas, o jogo se realizará no dia do nosso aniversário e um grande canto de PARABÉNS para o nosso time é OBRIGATÓRIO.
Não chego a me iludir achando que assumiremos a liderança, já nessa próxima rodada. Ainda não. Nessa, acredito que nos limitaremos apenas a manter a distância. O Palmeiras pega hoje o Sport, já rebaixado no Palestra, e o SP pega sábado um Vitória, já desinteressado no Morumbi. Vai ser na seguinte. E, aí, nós a seguraremos com toda a nossa força e a levaremos até o final.
O FLAMENGO já enfiou o pé na porta. Agora só falta entrar. E ELE VAI ENTRAR.

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!! E, mais do que nunca, um FELIZ ANIVERSÁRIO !

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Perderam a Chave


..

.

.

.

.

.

Quem é que nunca perdeu um chaveiro, ou apenas uma chave? Isso é uma coisa que acontece quase que diariamente com alguém. Nada demais,....perder uma chave.........até eu já perdi uma chave!......Perdi a chave do meu Urubugre.

Pois é. Perder uma chave pode ser a coisa mais normal do planeta, mas, porém, entretanto, todavia, há uma chave,....uma única chave,.....que não se deve perder nunca!!! Nem que a vaca tussa, a pessoa deve perder essa chave, dada à importância que ela tem no moral de um homem!!.....É a “chave do cu”!

Sim meus bróderis e minhas bróderas! Vai que você perca essa sagrada chave, que guarda toda sua dignidade pessoal enquanto está com o cu aberto!! Se perder com ele fechado, até que não será tão grande o prejuízo, mas, perder a chave com ele aberto, é triste!!

E assim o fez a torcida e a imprensa mineira, antes do caldo Knorr enfrentar o Flamengo. Eles peidaram um monte de fedorentas besteiras, que o Mengão iria “sair de lá goleado e humilhado”, só que, enquanto eles estavam com o cu aberto, falando merda, Pet, Maldonado e Adriano abriram seu chaveiro e roubaram a tal chave.
E agora José?.....E agora você?......A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José ? E agora, você ?

Ontem, quando lia o noticiário nos sites da net, como sempre, dei aquela passada básica no Globoesporte.com, para ver a tabela de classificação e fazer uma projeção dos times aspirantes ao título e foi então que eu ri.
Até a bem pouco tempo atrás, eu olhava os próximos jogos do Flamengo e de vários outros times, agora não. Agora olhei só de dois clubes, o resto não interessa. E semana que vem espero estar olhando somente do Flamengo.

Mas, pra quem falou que iria fazer e acontecer, o Caldo Knorr me deixou bastante frustrado. Eu até que esperei um jogo duro, com o time deles dando trabalho, mas, o que eu vi, foi um time jogar futebol de verdade, o Flamengo e outro mandando chuveirinhos para a área, sem qualquer maior pretensão, que não fosse contar com a sorte de uma sobra de bola e um gol fortuito, como, aliás, acabou sendo o gol deles. Mais nada.

O que eu vi do time deles, foi um cara poliglota, o Ricardinho, tentando se comunicar com um monte de analfabetos e estes sem compreender nada que ele dizia.
O que eu vi, foi o mesmo Tardelli do Flamengo, a tentar as mesmas jogadas individuais que ele só consegue efetuar com êxito, quando é marcado por paralíticos, mas que, no caso de enfrentar um time de verdade, com jogadores do nível de Maldonado, Ronaldo Angelim, Leo, Williams, Ayrton, Álvaro, fica no ciscado, bem próprio de uma galinha mineira choca.

O Andrade deu a derradeira explicação para o foguetório da noite anterior ao jogo. “Quem faz isso, não tem confiança na competência de seu próprio time”.

E meu irmão, Sidney, após o jogo, mandou uma letra que me emocionou. Ele disse:
“É claro que não dá pra comparar individualmente, os jogadores desse time, com os da década de 80, mas, o futebol que estão jogando faz lembrar! É bola certinha, de pé em pé, com jogadas trabalhadas. O time sabe o que está fazendo!”

E é mesmo! Foi-se o tempo em que o Flamengo jogava como jogou o Knorr, com bolas alucinadamente alçadas na área, com pseudo-lançamentos, na base do “vê se cabe” e do “eu cruzo você se vira”.
A sensação que nós tínhamos, em cada ataque, era a de esperar que a sorte nos ajudasse. Cada falta na entrada da área, ou na intermediária, nós já sabíamos que o Juan bateria, “à moda boi” e 99% delas não resultariam em nada. Cada bola cruzada na área era rechaçada pela zaga adversária e, sem absolutamente nenhum perigo e nenhum de nós esperava nada de proveitoso. Mas, quando era contra nossa defesa, aí sim, era um “Deus nos acuda”.

Hoje é diferente. Hoje, uma falta na entrada da área, voltou a ser pênalti, uma falta na intermediária, é jogada ensaiada e um escanteio é falta na entrada da área.

O gol olímpico do Pet, já nasceu de uma jogada sua, com um lançamento de contra ataque, primoroso para o Zé, que obrigou a goleira Karina a espalmar pra escanteio.

E no gol do Maldonado...!!??....Vocês repararam a sutileza??....Ele toca pro Zé, que avança e repassa a ele, o Chileno, então, faz com a mão esquerda um gesto típico de quem manda o ataque se posicionar para receber o cruzamento, desviando a atenção da zaga, mas, com incrível inteligência, ameaça o chute, já provocando outra desarrumação geral dos defensores, aí, deixa a redonda passar e mete o tamanco. E que barato foi ver sua camisa subir às costas, com a vontade do chute....!!!

E no terceiro gol, louvo a jogada de ultrapassagem, trabalhada pelo Leo Moura e o Fierro, coisa que eles já haviam realizado antes e em outras partidas, até que, deu certo. No mais, reparem no vídeo, que o Ferrabrás levanta a cabeça, vê o posicionamento do Imperador e faz um cruzamento tipo ponto futuro.

Há algum tempo, num determinado post, eu citei o fato que, “um time vencedor, tem que meter medo no adversário, antes mesmo de o jogo começar” e assim está acontecendo. Hoje em dia, vai começar a partida, bola no centro, o adversário olha aquelas onze camisas Rubro-Negras e ele sente a merda voltar pro cu. “Pô,....é o Flamengo fodão que está ali!...Isso não vai ser bom....!!!”
Fosse nos tempos das vacas magras, nenhum marcador teria tamanha preocupação com um jogador de 37 anos e ele também não sobressairia tanto, mas, tendo a coisa bem encaixada, o time bem ajustado, unido, sem divisões e rachas internos, do goleiro ao massagista, todos trabalham felizes e conseguem dar seu melhor.
Um grande time começa a ser formado pela amizade, divisão de funções e esforço coletivo, pois, sem eles, toda a competência e vontade individuais se perdem. Daí, como diria o Papai Joel, “o time encaixa” e, quando isto acontece, a torcida passa a jogar junto e, sendo esta a Nação Rubro-Negra, torna-se um pau de merda, segurar esta união.

Portanto, se tudo isto está acontecendo, nós temos que render graças ao Tromba, que sabe como se forma um time vencedor, pois, participou do Maior Deles e está sabendo passar isto aos jogadores. Aquela máxima, dita há seis meses atrás, de que, “para ganhar do Flamengo, era só marcar Leo Moura e Juan”, foi por água abaixo. Hoje em dia, pra ganhar do Flamengo, tem que cagar um quilo, duzentos e cinqüenta e cinco gramas, certinho na balança, senão, vai pro saco! Hoje em dia, o Flamengo tem um arco e uma flecha com ponta, certeira, venenosa e matadora. Ou várias.

Hoje em dia, quando o Flamengo parte para o ataque, eu já espero a boa jogada, coisa que não sentia antigamente. Hoje, quando o Pet pega a bola, eu tento adivinhar quem ele vai deixar na cara do gol e, quando a redonda vai pro Adriano, eu prendo a respiração e arregalo os olhos, sem querer piscar, pra não perder o segundo exato da patada sinistra a gol.

Contam uma história que, um certo patrão, colocou à porta de sua fábrica o seguinte cartaz: “Não falte, para que eu não perceba que a sua falta não faz falta.”
Pois é. A gente vive e vai vendo que, fora o Zico, ninguém é insubstituível. Eu cheguei a pensar que nem eu nem o Flamengo sobreviveríamos à ausência do Galinho, mas, o tempo passou e outros ídolos vieram. Lamentei demais a saída do Íbson, depois lamentei a saída do Emerson, mas, olha que outros vieram e estão cumprindo com bastante eficiência a falta que fizeram, mas, sinceramente,........como eu queria ver esse time de agora, jogando com esses dois...!!! Fico imaginando....

Bicudas finais.
PetkoZico: Você está me devolvendo a emoção dos anos 80. Obrigado.

FlorminenC: Valeu pela ajuda!......Agora já pode voltar a perder.
Leandro Guerreiro: Você quer ver a torcida no estádio?? Vai a um jogo do Flamengo.
Merluza: Parabéns! Vocês conseguiram dar a volta por baixo.

Comments